Brasília Na opinião do professor e estudioso de questões religiosas Fernando Altemayer, do Departamento de Teologia da Pontifícia Universidade (PUC) de São Paulo, a aproximação da corrente progressista da Igreja Católica ao governo Lula é previsível. ''Muitos militantes das CEBs estão ligados a trabalhos sociais e, se o governo optar de verdade por uma pauta social, o encontro vai acabar acontecendo.''
O padre Enoque Salvador de Melo, filiado ao PPS e prefeito do município sergipano de Poço Redondo, um dos mais miseráveis do país, também acredita que a ala progressista tende a se aproximar cada vez mais do governo, se as questões sociais forem prioritárias. ''Pessoas como Dom Tomás e o padre Ladislau sempre estiveram na linha de frente dos movimentos sociais que buscam a transformação do País e têm credibilidade'', afirma o prefeito. ''É natural que o governo busque gente assim para compor os seus quadros'', acrescenta. (A.E.)