PP, de Marcelo Belinati, é o último partido a realizar convenção em Londrina

O vice-candidato a prefeito será o atual vice João Mendonça do mesmo partido.

Guilherme Marconi - Grupo Folha
Guilherme Marconi - Grupo Folha

O prefeito e candidato à reeleição, Marcelo Belinati (PP), foi o nono e último nome a ser definido em convenção partidária nesta quarta-feira (16), prazo final do calendário eleitoral. O evento do Progressistas foi feito de forma on-line e o vice-candidato a prefeito será o atual vice João Mendonça do mesmo partido. 


PP, de Marcelo Belinati, é o último partido a realizar convenção em Londrina
Emerson Dias/N.com
 

 

Muitos partidos que fazem a composição brigavam pela indicação do nome para acompanhar o atual mandatário na chapa denominada "Londrina por quem entende de Londrina" (PP, PSDB, PL, PTB, SDD e PATRI). Entre eles o grupo formado por três partidos - PL, Patriotas e Solidariedade - querem indicar o vereador e atual líder na Câmara Jairo Tamura (PL). Há também sondagem do vice pelo PTB, controlado pelo deputado federal Alex Canziani. Por sua vez, o PSDB indicou Godoy da Copel para a vaga.  Entretanto, Belinati poderá ainda optou por um solução caseira indicando o atual vice, João Mendonça, que deverá ser confirmado até o dia 26 de setembro no dia do registro. 




Por conta do diagnóstico positivo para a Covid-19, Marcelo Belinati está em casa em repouso e não concedeu entrevistas para falar das propostas para um possível segundo mandato e comentar sobre sua gestão. O presidente do partido, Gustavo Santos, adiantou o foco para conquistar a reeleição. "Nossa campanha será focada naquilo que Londrina se transformou, demostrando todas as obras feitas e melhorias nos serviços ao cidadão". 


Santos também admitiu que o aumento do IPTU promovido pela atual gestão será foco dos adversários na campanha. "Apesar das decisões difíceis que geram algum descontentamento, elas foram necessárias porque ninguém teve coragem de fazer". Segundo ele, o mesmo raciocínio vale para  os decretos assinados agora por Belinati. "Ele como gestor durante a pandemia tem que tomar decisões duras que vão desagradar um ou outro setor, mas todas as medidas foram feitas de maneira técnica e bem embasadas." 


Trajetória 

Médico formado pela UEL e bacharel em direito, Marcelo Belinati Martins, 49 anos, é o primeiro prefeito da história da cidade nascido em Londrina. O candidato é  de família tradicional na política, sobrinho do ex-prefeito Antonio Belinati, que foi por três vezes chefiou o Executivo e teve o mandato cassado por infração político-administrativa em 2000. 


Nas eleições de 2012, Marcelo Belinati disputou a primeira vez a prefeitura e foi para o segundo turno acirrado com o ex-prefeito Alexandre Kireef. Na ocasião, perdeu por uma diferença de 2.978 votos, ficando com 49,47%. Dois anos mais tarde, elegeu-se deputado federal. O político assumiu a prefeitura após vitória no primeiro turno em 2016 com 137.817 votos ou 51,57%. Ele rompeu a tradição de Londrina que desde a década de 1990 foi palco de dois turnos a partir de quando foi implantada a regra para cidades com mais de 200 mil eleitores. 




Já ao assumir a gestão o período mais polêmico foi em janeiro de 2018 quando começaram a chegar os carnês do IPTU após atualização da plante de valores que embasa a cobrança do imposto sobre imóveis. À época outro imbróglio surgiu a respeito dos parâmetros cobrados no condomínio onde ele mora na zona sul. A cobrança a menor por conta da falta de desmembramento dos lotes virou alvo de ação do Ministério Público, entretanto a investigação que acabou arquivada pela Justiça. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo