A pesquisa do Instituto Vox Populi, encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), realizada entre os dias 19 e 21, com 2.006 entrevistados em todo o País, mostra que, após recuperar a popularidade em janeiro, o presidente Fernando Henrique voltou a perder pontos frente à avaliação da opinião pública neste mês. Subiu de 43% em janeiro para 49% neste mês o índice dos cidadãos que acham o governo do presidente ruim ou péssimo.
Em contrapartida, o índice dos que avaliam a gestão do governo como regular caiu 7 pontos, passando de 40%, em janeiro, para 33%, neste mês, enquanto o porcentual daqueles que avaliam o governo positivamente permaneceu inalterado em 16%.
Para o presidente da CNT, Clésio Andrade, e o diretor do Vox Populi João Francisco Meira, a queda na popularidade presidencial deve-se a três fatores: fim do clima de euforia verificado no fim do ano e que fez com que a rejeição ao presidente caísse de 59%, em dezembro, para 43%, em janeiro; temor ao desemprego, acentuado em janeiro, especialmente na área de comércio, e incerteza quanto ao reajuste do salário mínimo, cujas discussões sinalizam que o não deverá ser tão elevado. ‘‘A expectativa com a virada do ano não se refletiu nos números’’, observou Andrade.
Meira explicou que parte dos entrevistados que tinha uma avaliação regular sobre o desempenho do presidente migrou para o universo daqueles que têm uma avaliação negativa. A pesquisa também localiza nas Regiões Nordeste (54%) e Sul (53%) o contingente da população que tem pior avaliação do governo Fernando Henrique, seguidas do Sudeste (48%) e do Norte/Centro-Oeste (37%).