Para Requião, Paraná teve o crime estatizado Patrícia Zanin De Londrina O senador Roberto Requião (PMDB) disse ontem que o Paraná ‘‘estatizou o crime’’. ‘‘Estão privatizando as empresas públicas e estatizaram o crime no Estado’’, afirmou Requião, durante um pronunciamento no Senado que durou 50 minutos. Segundo ele, metade do tempo do discurso foi destinada a repercutir o envolvimento de policiais no crime organizado. ‘‘Assim fica pior que Alagoas’’, criticou o senador. Ele responsabilizou o governador Jaime Lerner (PFL) e o secretário de Segurança Pública, Cândido Martins de Oliveira, pela adesão de parte da polícia no crime. Requião não considerou suficientes as atitudes de Lerner de exonerar Ricardo Noronha e afastar os outros policiais acusados. ‘‘O comando tem de explicar o que aconteceu no Paranᒒ, cobrou. Ele questionou ainda o fato de não ter aparecido denúncias contra a Polícia Militar. ‘‘A maioria absoluta da polícia do Paraná tem comportamento exemplar, mas o governou afrouxou as cordas’’, analisou. Para Requião, é lamentável ver o Paraná nas manchetes da mídia nacional, não só pelo escândalo envolvendo policiais no crime organizado, mas também pelas denúncias contra o ministro do Esporte e Turismo, Rafael Greca (PFL). O Ministério Público Federal ofereceu denúncia contra Greca por improbidade administrativa.