Novo responsável pela Polícia vai esperar conclusões Israel Reinstein De Curitiba A substituição dos delegados e policiais citados na CPI do Narcotráfico, e afastados em consequência disso, somente será feita depois da conclusão dos trabalhos dos parlamentares. A decisão é do novo delegado-geral da Polícia Civil, Marco Antônio Lagana, que assumiu ontem, em substituição a Ricardo Noronha. Lagana, que ocupava a função de delegado-adjunto do comando, informou que, por enquanto, a prioridade é dar apoio à CPI. Por isso, os delegados envolvidos continuam à disposição nas delegacias em que atuavam. Lagana foi informado da saída de Noronha por volta das 10h30, quando o secretário de Segurança, Cândido Martins de Oliveira, comunicou-o do resultado da reunião com o governador Jaime Lerner, no Chapéu Pensador. ‘‘O secretário pediu que todas as provas levantadas pela CPI sejam usadas para as investigações internas da corregedoria’’, afirmou. Conforme Lagana, a Polícia tinha conhecimento de algumas denúncias contra policiais. Ele disse, no entanto, que ficou surpreso com o envolvimento de alguns delegados, entre eles, o comandante da Polícia Civil do Estado. ‘‘Na Corregedoria nunca apareceu qualquer denúncia contra ele’’, observou. Lagana sabe que assume o comando da polícia em um momento delicado da corporação. ‘‘É preciso cautela ao analisar essas denúncias’’, frisou o novo delegado-geral. Para ele, apenas os depoimentos não seriam suficientes para incriminar os citados. ‘‘Falta surgirem provas materiais’’, afirmou.