O juiz Nicolau dos Santos Neto, acusado de ser o mentor do desvio de verbas da obra superfaturada do fórum do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo, apresentou terça-feira seu formulário de recadastramento para aposentados na administração do TRT. O documento foi entregue por um funcionário do escritório de advocacia que representa o juiz, que está foragido, e assinado pelo advogado Alberto Zacharias Toron. O recadastramento, prática incomum nos TRTs, foi determinado pelo ex-presidente do TRT Floriano Vaz da Silva e deveria ter sido feito até terça-feira - quem não entregou o formulário pode até ficar sem seus vencimentos. Vaz da Silva declarou ser necessário ‘‘que se conheça a situação atual dos juízes e servidores, especialmente no presente momento em que se desconhece o paradeiro do juiz Nicolau dos Santos Neto’’. O formulário de Nicolau contém informações como nome, telefone, RG, CPF e endereço. O endereço informado é o da Rua Amarilis, 183, no Morumbi, onde o juiz residia antes de ter prisão preventiva decretada pela Justiça Federal, em 25 de abril.