|
  • Bitcoin 144.486
  • Dólar 4,8243
  • Euro 5,1620
Londrina

Política

m de leitura Atualizado em 07/04/2022, 20:18

Na ExpoLondrina, Ratinho Junior sinaliza apoio a Bolsonaro

Governador diz que "todos sabem" da boa relação dele com o presidente, que vem à cidade amanhã

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 07 de abril de 2022

Guilherme Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Roberto Custódiio
menu flutuante
Imagem ilustrativa da imagem Na ExpoLondrina, Ratinho Junior sinaliza apoio a Bolsonaro Imagem ilustrativa da imagem Na ExpoLondrina, Ratinho Junior sinaliza apoio a Bolsonaro
|  Foto: Roberto Custódiio
 

Sete dias após a abertura da 60ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina, o governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), marcou presença no Parque de Exposições Ney Braga nesta quinta-feira (7) no lançamento do projeto de desenvolvimento do Polo de Inovação Agropecuária de Londrina para os próximos quatro anos (2022-2025). Alegando agenda política no fim da janela eleitoral, o chefe do Executivo estadual não havia participado da abertura oficial do evento na sexta-feira passada (1º) e foi representado pelo secretário estadual de Agricultura, Norberto Ortigara. 

A presença de Ratinho Junior antecede a vinda do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), que visitará a ExpoLondrina nesta sexta-feira (8), em agenda política no Norte do Estado. O governador disse que irá acompanhar o presidente Bolsonaro em Bandeirantes (Norte Pioneiro) no sábado (9) à visita ao Santuário São Miguel Arcanjo. "É sempre um prazer receber o presidente da República. Todo mundo sabe da minha boa relação com o presidente. Nós estamos fazendo obras importantes de infraestrutura aqui no estado do Paraná. Nas próprias concessões nós tivemos um apoio muito grande do Ministério da Infraestrutura" disse. Ratinho Junior informou que estará em Curitiba para compromissos nesta sexta e volta ao Norte Pioneiro do Estado no sábado pela manhã para acompanhar o presidente em Bandeirantes, que visitará o Santuário após uma motociata que apoiadores estão programando com partida de Andirá (Norte Pioneiro).

Questionado pela FOLHA em coletiva de imprensa se irá dividir palanque com Bolsonaro e se estaria fechado com o presidente para a campanha eleitoral de 2022, Ratinho Junior mais uma vez usou o tom de cautela. "A posição política nós temos que esperar a posição do partido nacionalmente. Até por uma questão de ética e de respeito ao presidente Kassab (Gilberto, presidente nacional do PSD), mas friso que é público o meu bom relacionamento com o presidente Bolsonaro", disse o governador.

MANIFESTAÇÃO 

Cerca de 20 policiais civis foram impedidos de entrar no Parque de Exposições para fazer um protesto. De acordo com o Sindipol (Sindicato dos Policiais Civis), teria vindo uma ordem de Curitiba para impedir a manifestação contrária ao governador por conta de subsídio sancionado por Ratinho Junior. O chefe do Executivo se mostrou incomodado com a insatisfação da categoria. "Primeira vez que vejo um protesto por aumentar salário. Conseguimos fazer a readequação salarial da categoria de Segurança Pública e também de outras áreas. É uma construção constante. Ano eleitoral, é natural que os sindicatos sejam usados para isso. Sindicatos ligados à esquerda, ao PT, acabam fomentando esse tipo de coisa, mas é um grupo muito pequeno de pessoas", rebateu. 

Já o presidente do Sindipol, Eli Almeida, criticou a ordem dada para não permitir a entrada dos policiais civis no Parque Ney Braga. "Esse projeto de lei trouxe prejuízo muito grande. Concederam valores diferenciados para cada classe policial. Retiraram 1% das nossas referências. Na verdade essa correção só trouxe distorção e dividiu a categoria. Na data de hoje, além de proibir a entrada de policiais sem faixas e cartazes, ainda proibiu a entrada de policiais civis de uniforme e armados. Nós temos porte de arma autorizado por lei e isso foi um abuso de autoridade muito grande" argumentou. Na última sexta-feira (1º), mesmo com ausência do governador, policiais civis conseguiram entrar no parque com faixas e cartazes em protesto contra o pacote sancionado. 

Questionado, Ratinho Junior disse que a ordem de impedir entrada dos manifestantes não partiu dele. "Obviamente que existe todo um protocolo de segurança, tanto para o presidente da República quanto para o governador. Muito provavelmente seja um protocolo solicitado pela Casa Militar", respondeu o governador. A Casa Militar é órgão ligado ao Palácio Iguaçu que cuida da segurança e de outras assistências do governador e vice-governador. 

PASSAPORTE DA VACINA

O governador do Paraná disse também que irá sancionar o projeto de lei aprovado nesta semana na Assembleia Legislativa que veda a obrigatoriedade do chamado "passaporte da vacina" contra a Covid-19, matéria defendida pela ala bolsonarista da Casa.  "Vou sancionar porque estamos com mais de 90% das pessoas vacinadas e tem dado resultado. O Paraná está entre os cinco estados que mais vacinaram sua população e não é justo você cercear o direito de uma pessoa que entende que não quer ser vacinada. Esse é um problema dela. Não pode impedir um estudante de entrar na universidade, assistir a uma aula. Isso é um absurdo."

Ratinho Junior também comentou a retomada da ExpoLondrina após dois anos suspensa por conta da pandemia e o bom momento da economia paranaense, segundo ele. "Começamos janeiro e fevereiro com saldo de 50 mil empregos gerados. Londrina vem liderando esse processo de geração de empregos, como um polo tecnológico. Estamos participando desse debate da tecnologia no agronegócio. Então a Exposição é um sucesso e é bom a gente ver a população participando, negócios sendo firmados tanto na parte de animais e de maquinário. É um momento de retomada forte e estou muito entusiasmado com o que a gente está vendo no Paraná, sobretudo na feira." 

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link