|
  • Bitcoin 105.001
  • Dólar 5,2201
  • Euro 5,4921
Londrina

Política

m de leitura Atualizado em 16/05/2022, 21:05

Mudança de zoneamento divide opinião de moradores do Bela Suíça

Enquanto um grupo defende a construção de prédios, outro quer preservar as características de bairro tranquilo

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 16 de maio de 2022

Rafael Machado - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Anderson Coelho/iStock
menu flutuante

Considerado um dos bairros mais nobres de Londrina, o Bela Suíça, na zona sul de Londrina, virou palco de divergência entre os próprios moradores. O Ippul (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina) recebeu o pedido de um grupo de residentes de alteração de zona residencial 1 para zona de uso misto 3, que abriria o leque de construções para prédios e até indústrias. 

. .
. |  Foto: Anderson Coelho/iStock
 

Quem é favorável à mudança encomendou um EIV (Estudo de Impacto de Vizinhança). Segundo o documento, "foi constatado que o zoneamento misto traz mais impactos positivos do que negativos, já que os aspectos que poderiam gerar algum ônus à região são oriundos de processos próprios de urbanização e não são significantes". 

O relatório ressalta os lados que seriam positivos para o bairro, como "a valorização imobiliária, diversificação de serviços, criação de empregos diretos e indiretos e manutenção da área de preservação permanente, já que os empreendimentos que serão ali instalados tendem a prezar por áreas verdes e de recreação no seu entorno". 

Sobre o barulho, o estudo apontou que "os empreendimentos que pretendem se instalar no bairro não apresentam características para impactar significativamente a vizinhança". 

PROLONGAMENTO

A análise de impacto feita por um escritório particular cita a possibilidade de prolongamento da avenida Madre Leônia Milito, do trecho da rua Santiago até a avenida Adhemar Pereira de Barros. 

É aí que mora a insatisfação formalizada em ofício pela Associação de Moradores do Bela Suíça. A entidade diz que o projeto causará "danos ambientais e sociais irreparáveis". 

Inicialmente, os moradores afirmam que a segurança seria prejudicada, isso porque o prolongamento derrubaria a guarita de vigilância construída pela própria comunidade. 

Outro fator citado no documento é a existência de três árvores de aproximadamente 20 metros de altura, que seriam extraídas caso a Prefeitura de Londrina resolva tirar a ideia do papel. 

IMPASSE

De acordo com o presidente da associação, Antônio Sérgio Pardini, uma pesquisa foi feita entre os moradores sobre a possibilidade de mudar o zoneamento. "Fizemos um balanço com as 100 casas existentes aqui. Cinquenta e cinco delas opinaram pela manutenção da atual regra, que é a residencial. É quase 20% superior dos que querem a mudança", avaliou. 

Ao Ippul, a associação explicou que "não é contra o empreendedorismo ou ao aquecimento do mercado da construção civil. Porém, somos radicalmente contra a implantação de um projeto sem ouvir os reais interessados e prejudicados, bem como sem que seja demonstrado o efetivo interesse público de todos os cidadãos londrinenses". 

Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (16), o prefeito Marcelo Belinati (PP) foi cauteloso ao comentar o tema. "Vamos aguardar a análise dos técnicos do Ippul. É uma questão muito delicada, que mexe com o sentimento de bastante gente", resumiu. 

POLÊMICA

Zoneamento é um assunto polêmico na Câmara Municipal de Londrina. Em 2018, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) deflagrou a Operação ZR-3 para desbaratar uma suposta organização criminosa que agia para lucrar com a aprovação desse tipo de projeto. 

O caso, que ainda se arrasta na Justiça de Londrina, terminou no afastamento dos ex-vereadores Rony Alves e Mário Takahashi, na época presidente do Legislativo. Eles não foram cassados pelos outros colegas, mas não conseguiram se reelegar em 2020. O Ministério Público denunciou 13 réus por vários crimes. 

A reportagem tentou ouvir o presidente da Câmara, Jairo Tamura (PL) sobre a possível mudança de zoneamento no Bela Suíça, mas não conseguiu contato.

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.