O ministro da Defesa , Geraldo Quintão lutará para tentar garantir algum tipo de reajuste para os militares ainda este ano, apesar de a área econômica insistir que não há recursos para aumento no Orçamento. O reajuste previsto pela nova Lei de Remuneração dos Militares é da ordem de 30%, em média. Depois de acertar os últimos detalhes com a Casa Civil em relação ao estudo da LRM, o ministro pretende conversar com o presidente para falar das necessidades da categoria.
Os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica asseguram que, embora a insatisfação seja grande, a tropa está sob controle e não há a menor possibilidade de ocorrerem manifestações que signifiquem atos de indisciplina. As maiores queixas são dos oficiais, postos de capitão a coronel, porque alegam que estão com os salários proporcionalmente mais defasados. Um coronel com 35 anos de serviço está ganhando R$ 2.900,00 líquido.
A inquietação dos militares aumenta quando eles vêem categorias que ganham salários muito superiores como aconteceu com o Superior Tribunal de Justiça, que anunciou a incorporação de 11,98%, referentes à reposição de planos econômicos, que eles também não foram contemplados.