O segundo turno das eleições municipais deste ano vão movimentar 26.040.629 eleitores de 31 cidades brasileiras. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Néri da Silveira, afirmou que o processo eleitoral foi devidamente preparado e a expectativa é que o pleito ocorra na mais absoluta ordem. Sobre a requisição de tropas federais, o ministro disse que atendendo a solicitação de Tribunais Regionais (TREs) foi autorizado reforço em Manaus, Belém, Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda e Pernambuco.
Néri da Silveira disse que a eleição de hoje é uma complementação do primeiro turno, sendo que a votação nos 31 municípios representa o comparecimento às urnas de 32,81% do eleitorado brasileiro.
O Presidente do TSE disse que serão adotadas medidas para garantir um processo ágil e tranquilo na justificativa do voto, que pela primeira vez na história da Justiça Eleitoral está sendo processada diretamente na urna eletrônica.
No primeiro turno foram contabilizados os eleitores que não compareceram às urnas, mas justificaram a ausência, isto representa um passo significativo no processo eleitoral, já que no sistema anterior levava mais de ano para conseguir contabilizar as justificativas que eram feitas pelo correio, através da urna eletrônica o resultado é imediato.
Em 1º de outubro mais de 5 milhões de eleitores justificaram o voto, enquanto na eleição de 1998 foram 9 milhões de justificativas somando os dois turnos – quase 600 mil justificativas foram consideradas ineficazes por preenchimento incorreto, o que não acontecerá desta vez, já que o eleitor recebe a certidão de quitação na hora podendo conferir se os dados estão corretos.
Sobre o resultado do segundo turno, o ministro disse que a expectativa é ainda mais otimista do que em relação ao primeiro turno, onde cerca de 90% dos municípios já estavam com os resultados totalizados antes da meia noite. Nos 31 municípios onde haverá segundo turno, o TSE espera que antes da meia-noite do dia 29 já seja conhecido o resultado oficial da eleição. Em relação ao nível das campanhas eleitorais, o ministro disse que ocorreram troca de ofensas entre candidatos em alguns colégios eleitorais. Néri da Silveira informou que o Tribunal ainda não recebeu nenhum processo ou reclamação.