Agência Estado
De Brasília
O representante do Fundo Monetário Internacional (FMI) no Brasil, Lorenzo Perez, informou ontem em Brasília que não vai mais dar declarações sobre o Fundo de Combate à Pobreza e a nota do Ministério da Fazenda, divulgada anteontem à noite por determinação do ministro Pedro Malan, rechaçando a ‘‘ingerência indevida’’ do funcionário. ‘‘É mais prudente não falar’’, disse Perez.
Pedro Malan não gostou das declarações dadas por Perez à agência de notícias Dow Jones, fazendo ressalvas ao modelo do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza. Em entrevista à agência Dow Jones, Perez teria dito estar preocupado com a proposta, que poderia atrapalhar os esforços do País em reduzir a dívida. Segundo o despacho da agência, ele teria comentado que o Brasil precisaria aprofundar e melhorar suas políticas de combate à pobreza. Ele teria lembrado, ainda, que o Brasil já faz investimentos significativos na área social, sendo necessário aumentar a eficiência do gasto.