Um dia após o candidato a vice-prefeito de Londrina, pela Coligação PDT/PPB, Assad Jannani, ter atacado o PT por causa da presença do nome de um ‘‘alto dirigente petista’’ na lista do empresário Cassimiro Zavierucha, o ‘‘Carlos Júnior’’, a Folha apurou que o nome do próprio candidato a prefeito da coligação de Assad, Homero Barbosa Neto (PDT), também consta do documento. Barbosa teria recebido, em 1998, R$ 3 mil. ‘‘Carlos Júnior’’ é apontado pelo Ministério Público como o tesoureiro de Belinati e responsável pela movimentação do dinheiro desviado da prefeitura em licitações fraudulentas.
A revelação surpreendeu o candidato a vice, que soube da presença do nome de Barbosa na lista pela Folha. ‘‘Tenho absoluta certeza de que isto não pode ser verdade. Senão por que o Barbosa foi poupado e não pouparam o presidente do PT?’’, questionou ontem Assad, citando o vereador eleito pelo partido, André Vargas, cujo nome também está na lista de Zavierucha. ,
O próprio Barbosa, no entanto, confirmou à Folha, no início da noite, que sabia da presença de seu nome no documento. ‘‘Inclusive entrei com uma interpelação judicial contra o Carlos Júnior, pedindo a documentação probatória desse suposto pagamento, como cópias de cheques e recibos. Isso para mim é uma calúnia’’, rebateu. A interpelação, segundo o candidato, foi feita em abril deste ano, logo após a apreensão da lista na casa de ‘‘Carlos’’.
Barbosa Neto acrescentou que trabalhou para Belinati na campanha de 1996, apresentando comício. Mas não teve, segundo ele, nenhum negócio com o prefeito cassado dois anos depois, quando tentou uma vaga na Assembléia Legislativa mas teve a candidatura impugnada pela Justiça. Sobre a veracidade da lista de Zavierucha, ele não quis opinar. ‘‘Não posso responder pelos outros nomes que constam do documento. Mas o meu nome é uma inverdade. Tanto que eu desafio a provar qualquer coisa contra a minha pessoa.’’
Barbosa disse ainda que não acredita que a divulgação do fato atrapalhe sua campanha. ‘‘Isso já saiu outras vezes e não houve repercussão’’, disse. ‘‘Agora espero que a investigação do MP esclareça essa situação. Eu não tenho que me defender porque não devo nada.’’
A revelação também surpreendeu o atual presidente do PT, Jacks Dias. ‘‘É um fato extremamente sério, que a gente não esperava. Mas isso também não vai alterar o rumo da nossa campanha. Vamos continuar apresentando propostas, sem baixar o nível.’’
Dias acrescentou que André Vargas não era presidente do PT em 98 – ele só assumiu o cargo em 99. Explicou também que na eleição de 98 o PT esteve aliado nacionalmente com o PSB do então candidato a deputado estadual Antônio Carlos Belinati. Isso possilitou uma ‘‘dobradinha’’ entre Antonio Carlos e o candidato a deputado federal Paulo Bernardo (PT). Por isso, o valor que constava da lista do Zavierucha, em favor de Vargas, seria para pagamento de material de campanha comum, utilizado pelos dois candidatos. ‘‘Na época, o valor foi depositado e não checamos a origem do dinheiro’’, garantiu Dias.