Lerner avalia saneamento da Polícia Arquivo FolhaCândido Martins: em busca de melhorar a imagem da PC Leandro Donatti De Curitiba O secretário da Segurança, Cândido Martins de Oliveira, tenta se reunir neste final de semana com o governador Jaime Lerner (PFL), de volta dos Estados Unidos desde ontem. O secretário quer entregar até segunda-feira pacote moralizador para sanear a Polícia Civil do Estado, cuja imagem ficou maculada com a passagem da CPI do Narcotráfico. Cândido acertava ontem à tarde, com uma equipe de técnicos da Secretaria, os detalhes das medidas a serem baixadas a seu pedido pelo governador. Do sucesso desse plano depende a permanência de Cândido Martins na pasta. O secretário planeja ainda discutir com Lerner o nome do novo delegado-geral da Polícia Civil. Marco Antonio Lagana responde provisoriamente pela função ocupada até o início deste mês pelo delegado João Ricardo Képes Noronha, exonerado do cargo sob a suspeita de envolvimento com o narcotráfico. Em entrevista à Folha, Cândido Martins não quis manifestar a sua preferência sobre a escolha do novo delegado-geral. O pacote moralizador preparado pelo secretário da Segurança tem cinco diretrizes: mexida no quadro de pessoal, unificação das Polícias Civil e Militar, modernização do aparelho policial, alterações na legislação interna, e aprimoramento profissional. Candinho já conversou com a secretária da Administração, Maria Elisa Paciornik, e vai propor ao governador a contratação de parte dos cerca de mil aprovados em concurso para investigador, não nomeados até o momento por conta do ajuste fiscal. Outra medida estudada por Cândido Martins, para dar reforço aos quadros da Polícia Civil, é a realização de concurso público para delegado. O secretário disse que seu plano pode ser implantado no máximo em seis meses, através de decretos ou resoluções da própria Secretaria. ‘‘Existem alguns pontos que têm aplicabilidade imediata, outros não’’, ressaltou. A Folha apurou que as medidas mais demoradas mexem em leis, o que depende de manifestação formal da Assembléia Legislativa. Cândido Martins anunciou que o seu plano saneador só terá êxito se houver mudanças de base. Para isso, o secretário promete investimentos em capacitação profissional e mexidas na Escola da Polícia Civil e na Academia do Guatupê, da Polícia Militar. ‘‘Todos têm de passar por uma reciclagem. Além disso, temos de investir na integração’’, pregou. O secretário passou os últimos dias afinando o discurso com a sua equipe. Candinho quer passar ao governador a imagem de que não se abalou com as constatações e suspeitas levantadas pela CPI no Narcotráfico. Porém, uma agravante pesa contra o secretário. Nesta segunda-feira, o sub-relator da CPI, Pompeo de Mattos (PDT-RS), promete apresentar pedido de convocação do secretário, para que o mesmo preste depoimento em Brasília. Fontes do governo garantem que Lerner tenta conduzir da forma mais tranquila possível o problema que a Polícia Civil transformou-se para seu governo. Depois de determinar ‘‘faxina geral’’, o governador estaria disposto a dar uma chance para Candinho recuperar a imagem da instituição. Porém, sem nunca descartar as possibilidades de demissão ou de remanejamento.