O juiz eleitoral de Londrina Dimas Ortêncio de Mello se reúne hoje com representantes das polícias Civil, Militar e Federal para definir o esquema de segurança que será utilizado durante a votação do segundo turno das eleições municipais. Ele antecipou que deverá ser adotado o mesmo procedimento do primeiro turno, quando a Justiça centralizou a triagem das denúncias de crimes eleitorais no Ginásio de Esportes Moringão. Ele prometeu rigor para coibir a boca de urna. A reunião começa às 10 horas, no Fórum de Londrina.
‘‘Vamos dar sequência ao trabalho iniciado em 1º de oububro; estamos tomando precauções’’, afirmou ontem à tarde à Folha. Ele confirmou a existência de boatos de que militantes e partidários de outros municípios estariam planejando desembarcar em Londrina dispostos a fazer uma corpo a corpo com os eleitores, no dia da votação.
‘‘Vamos trabalhar para termos uma eleição tranquila e, se preciso, vamos pedir reforço policial’’, antecipou o juiz. Segundo ele, como a votação do dia 29 só ocorrerá em Curitiba, Londrina e Maringá, existe a possibilidade de reforço para evitar a ocorrência de crime eleitoral.
Além de estabelecer um cronograma de atividades com os responsáveis pela segurança pública, Dimas Hortêncio se reúne ainda hoje com os representantes das coligações de Nedson Micheleti e de Barbosa Neto. O objetivo é definir todos os detalhes para o trabalho de fiscalização, que conta com a participação dos partidos políticos. A reunião está marcada para às 10h30, também no Fórum.
O subcomandante do 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM), major Manoel da Cruz Neto, acredita que a segurança poderá ser feita somente com o efetivo do município, que reúne 400 homens. Ele disse que, caso a Justiça entenda que é necessário reforçar a segurança, a solicitação deverá ser repassada ao comando da PM. Major Manoel afirmou que, a princípio, a estratégia será manter um policial próximo ao local de votação. ‘‘O apoio será dado pelas viaturas que estarão circulando durante todo o dia’’, afirmou.
Amanhã a Justiça Eleitoral vai lacrar as 834 urnas que serão utilizadas em Londrina. O programa estará sendo substituído pelo do segundo turno, que traz somente os nomes, números e fotografias dos dois candidatos a prefeito. A expectativa da Justiça Eleitoral é de que a apuração seja bem rápida, devendo levar aproximadamente duas horas para a totalização dos votos em Londrina, o que coincide com a proposta de rapidez do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).