A Justiça de Terra Rica (57 km a noroeste de Paranavaí) tornou indisponíveis os bens do prefeito Cláudio Domingos Soletti (PSD) e ordenou que o município cancele a contratação e suspenda o pagamento de aproximadamente 200 servidores públicos. Ele é citado na ação civil impetrada pelo promotor Denilson Soares de Almeida, que o acusa de realizar contratações irregulares nos últimos quatro anos.
O juiz Luiz Henrique Trompczymski determinou a indisponibilidade atendendo às solicitações do Ministério Público (MP). O juiz, porém, não acatou o pedido de afastamento de Soletti do cargo. O promotor pretende interpor um recurso, insistindo no afastamento. Além de Soletti, outros 13 chefes de divisão e diretores de departamentos da prefeitura também tiveram os bens indisponíveis e são citados na ação.
O prefeito foi candidato nestas eleições, mas não conseguiu se reeleger. Ele justificou que, diante das condições da prefeitura, teve de contratar sem concurso e que, se tiver de demitir, terá de fechar vários setores. Sobre a ação civil, o prefeito afirmou que seus advogados já estão trabalhando na defesa. Ele garantiu que nunca sofreu nenhum processo. ‘‘Se for preciso, abro minhas contas e mostrou meu Imposto de Renda para mostrar o que tenho’’, desafiou.