O juiz da 28ª Zona Eleitoral, Marcelo Mazalli, indeferiu ontem um pedido de anulação da eleição para vereadores em Apucarana. A acão havia sido proposta pelo advogado e candidato a vereador Petrônio Cardoso (PMDB). Ele disse que todo o processo foi conduzido tendo como base a disputa de 19 cadeiras no Legislativo.
Cardoso arguiu que o registro das candidaturas e coligações teve como parâmetro o aumento do número de cadeiras na Câmara, de 17 para 19, que havia sido aprovado em 1999 pelos atuais vereadores. Depois, uma nova decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) fez voltar para 17 o número de vereadores.
Se fosse mantida a ampliação de vagas, o peemedebista Petrônio Cardoso teria sido o único eleito na chapa PMDB-PDT-PL, com 611 votos. A 19ª vaga seria de Michelin (PSL). Por ironia, Michelin foi o autor da ação popular, impetrada em novembro de 99, questionando a decisão da Câmara de aumentar o número de vagas. Em sua ação ele queria que o número fosse reduzido para 9 vagas.