Investigadores são procurados pela Polícia Os investigadores Mauro Canuto, da Homicídios, e Marco Antonio Germano, do 12º Distrito Policial de Curitiba, estão sendo procurados pelas Polícias Militar e Federal. A CPI do Narcotráfico determinou ontem, por volta do meio-dia, prisão temporária dos dois por 30 dias. Canuto é acusado de estar na linha de frente do tráfico de drogas na região. De acordo com os depoimentos colhidos pela CPI nos últimos três dias, Mauro Canuto faz o comércio de drogas em Curitiba. O investigador sumiu quando percebeu que a tomada de seu depoimento se tornaria inevitável. Canuto estaria sendo acobertado, nos últimos anos, pela cúpula da Polícia Civil. Ele é tido como influente repassador de drogas e integra listas reservadas de investigações na área. Marco Antonio Germano foi citado em diversos depoimentos como parceiro de Reginaldo Moreira, investigador do 11º Distrito Policial de Curitiba, que está preso por ordem da CPI. É apontado pela Polícia como um investigador bastante violento. Está foragido desde o início da semana, quando soube que a CPI iria se transferir para o Paraná. Os decretos de prisão foram anunciados pelo presidente da Comissão, Magno Malta. Ele pediu em público à Corregedoria da Polícia Civil e ao comando da Polícia Federal em Curitiba que montassem ‘‘imediatamente’’ equipes de busca, para capturar os acusados. A CPI pretende ouvir os investigadores, não mais no Paraná, mas em Brasília, até maio.(L.D.)