Inquérito sobre grampo não aponta mandantes
O relatório final do inquérito sobre o grampo no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que levou um ano e dois meses para ser concluído, não aponta os mandantes da escuta telefônica. São apontados como executores do grampo o funcionário da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) Temílson de Resende, o Telmo, e o detetive particular Adilson Alcântara de Matos - já indiciados no inquérito. O Ministério Público Federal (MPF), que recebeu o relatório na última sexta-feira, deverá desmembrar o inquérito e pedir à Polícia Federal novas investigações sobre o caso. O MPF tem um prazo de 15 dias para decidir se oferecerá ou não denúncia contra os indiciados.