Huck diz que nomeação de criminalista para o Ministério da Saúde mostra que Brasil está descoordenado


MARIANA CARNEIRO E GUILHERME SETO
MARIANA CARNEIRO E GUILHERME SETO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O apresentador de TV e presidenciável Luciano Huck publicou uma mensagem nas redes sociais em que elenca razões para mostrar que o Brasil está sem controle no governo Jair Bolsonaro. Entre elas, ele aponta a nomeação de um advogado criminalista para o Ministério da Saúde.

Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo, tornou-se um mistério na pasta a nomeação do criminalista Zoser Hardman de Araújo. Em sua trajetória, o advogado defendeu milicianos do Rio, como Cristiano Girão, Wallace Pires (Robocop) e Ricardo Gildes (Dentuço). Além disso, também representou o ex-tenente da PM Daniel Benitez, condenado a 36 anos de prisão por ter sido um dos mentores do assassinato da juíza Patricia Acioli.



"Fatos...Ministros técnicos e competentes fritados em meio à pandemia. Ministérios aparelhados. Cloroquina no tratamento da doença sem amparo da ciência. Um advogado criminalista como assessor especial da Saúde. O Brasil está descoordenado. ", escreveu Luciano Huck nesta sexta-feira (22).



A reportagem procurou o ministro interino, general Eduardo Pazuello, a assessoria do Ministério da Saúde, Teich e o advogado, mas ninguém respondeu quem foi o responsável pela indicação.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:


Continue lendo


Últimas notícias