FHC discute salário com líder português Agência Folha De Santiago O presidente Fernando Henrique Cardoso passou parte de sua viagem de Lisboa a Brasília justificando as suas ações para aumentar o salário mínimo, combater as altas aposentadorias do setor público, estabelecer o teto salarial nos três Poderes e assentar os sem-terra. Curiosamente, os interessados eram o primeiro-ministro português, António Guterres, e o Prêmio Nobel de Literatura de 1998, José Saramago. FHC, que esteve em Lisboa como parte dos festejos dos 500 anos, deu uma carona aos dois portugueses até o Brasil, que depois seguiram com ele até o Chile, para a posse do novo presidente, Ricardo Lagos, ontem. Coincidentemente, Guterres e FHC enfrentam o problema do teto salarial. Em Portugal, o primeiro-ministro quer que ele seja o equivalente a oito salários mínimos locais (cerca de R$ 4 mil), mas encontra sérias resistências. Guterres disse a FHC que não acredita que sua proposta seja aprovada pelos demais Poderes. Algo parecido com o que aconteceu com o Brasil.