|
  • Bitcoin 101.550
  • Dólar 5,2630
  • Euro 5,4772
Londrina

Política

m de leitura Atualizado em 09/06/2022, 19:43

Empréstimo de R$ 100 mi da Caixa gera novo debate na Câmara

Em sabatina, Prefeitura responde que pagará a dívida do financiamento em 10 anos

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 09 de junho de 2022

Guilherme Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: CML/Devanir Parra
menu flutuante

A Câmara Municipal de Londrina voltou a debater em sessão desta quinta-feira (9) o projeto de lei que autoriza a gestão Marcelo Belinati (PP) a contrair empréstimo de R$ 100 milhões em financiamento firmado em contrato com a Caixa Econômica Federal.  Desta vez, o secretário municipal de Planejamento, Marcelo Canhada, foi questionado sobre aspectos técnicos como juros, amortização da dívida e taxas definidas no contrato com o banco estatal.  O objetivo do município é utilizar o recurso do crédito para investir em obras públicas para recapeamento asfáltico. 

Os vereadores de Londrina reuniram-se na tarde desta quinta-feira (9) para a 37ª sessão ordinária de 2022, transmitida pelas mídias sociais do Legislativo no Facebook e Youtube. Na foto Darling Maffato Genvigir,Diretoria de Orçamento da Secretaria de Planejamento, Orçamento e tecnologia, Dinise Ziober,Assessora de Planejamento da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada, Secretário Municipal de Planejamento,  Deborah Ramos Coordenadora administrativa da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Tecnologia. Os vereadores de Londrina reuniram-se na tarde desta quinta-feira (9) para a 37ª sessão ordinária de 2022, transmitida pelas mídias sociais do Legislativo no Facebook e Youtube. Na foto Darling Maffato Genvigir,Diretoria de Orçamento da Secretaria de Planejamento, Orçamento e tecnologia, Dinise Ziober,Assessora de Planejamento da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada, Secretário Municipal de Planejamento,  Deborah Ramos Coordenadora administrativa da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Tecnologia.
Os vereadores de Londrina reuniram-se na tarde desta quinta-feira (9) para a 37ª sessão ordinária de 2022, transmitida pelas mídias sociais do Legislativo no Facebook e Youtube. Na foto Darling Maffato Genvigir,Diretoria de Orçamento da Secretaria de Planejamento, Orçamento e tecnologia, Dinise Ziober,Assessora de Planejamento da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada, Secretário Municipal de Planejamento, Deborah Ramos Coordenadora administrativa da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Tecnologia. |  Foto: CML/Devanir Parra
 

Com 13 votos favoráveis e cinco contrários, o projeto foi aprovado em segundo turno e seguirá para sanção do prefeito. A matéria passou no limite com votos contrários dos vereadores Jessicão (PP), Giovani Mattos (PSC), Mara Boca Aberta (Pros), Roberto Fu (PDT) e Santão (PSC). 

"Queremos trazer benefícios e desenvolvimento mais rápido para a população. São obras de infraestrutura que a cidade precisa como abrir e duplicar a Avenida Constantino Pialarissi, onde terão mais empreendimentos e desenvolvimento. Nós não vamos pagar conta. Vamos pegar esse dinheiro para fazer investimento, que traz emprego e desenvolvimento para a cidade", defendeu Canhada. 

O secretário foi questionado pelo vereador Claudemir dos Santos, o Santão (PSC), sobre o tempo de pagamento e valor total dos juros. Em resposta, Canhada disse que a dívida será paga em 10 anos e para amortizar o montante serão quitados ao final valor total de R$ 182 milhões. "Os valores da operação não são pré-fixados. Eles são atrelados à taxa de juros, pelo CDI, de forma variável", explicou Canhada.

A vereadora Jessicão (PP) voltou a discordar da urgência do debate, feito em apenas uma semana, sobre o contrato de financiamento. "Eu não me sinto à vontade de votar um projeto de urgência sobre um empréstimo milionário em 72 horas. Não sou contra as obras. Nós fechamos o ano de 2021 com superavit de R$ 100 milhões e hoje o caixa da prefeitura continua no azul. Também até agora não foi apresentado estudo técnico da real necessidade de aceitar essa proposta. São pautas sérias, pois começa com R$ 100 milhões e termina com o dobro." 

Antes da votação, o vereador Giovani Mattos (PSC) chegou a defender suspensão da tramitação da matéria para realização de uma audiência pública pela Comissão de Finanças, mas não foi atendido pela liderança do governo. "Nossa cidade precisa dessas melhorias, mas não pode ser votado assim em poucas horas." 

GM NO TRÂNSITO

Os vereadores também aprovaram na sessão desta quinta-feira, em segundo turno, projeto de lei de autoria do Executivo que prevê a criação de uma Inspetoria e de quatro Supervisões de Trânsito para a Guarda Municipal. Atualmente, mais de 63 agentes trabalham como agentes de trânsito na cidade.

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1