Deputados reagem positivamente às medidas de isolamento no Paraná

Apesar de concordarem, parlamentares da oposição criticam a falta de medidas de proteção social e da economia estadual

Pedro Moraes - Grupo Folha
Pedro Moraes - Grupo Folha

As medidas de isolamento decretadas pelo governo Ratinho Junior (PSD) nesta terça-feira (30) foram bem recebidas pelos deputados na AL (Assembleia Legislativa do Paraná). O governador voltou a decretar o fechamento de atividades consideradas não essenciais por 14 dias em várias regiões do Estado, incluindo a de Londrina (leia mais nas páginas 24 e 25). 

Deputados reagem positivamente às medidas de isolamento no Paraná
Luciomar Castilho/Alep
 




Mesmo os deputados da bancada da oposição afirmaram que as restrições são necessárias, apesar de as críticas não terem sido poupadas. Requião Filho (MDB) destacou que as providências não devem ser tomadas como oposição entre saúde e economia. “Acho importantes e válidas algumas dessas medidas para algumas cidades do Paraná. Infelizmente, o Ratinho demorou muito para fazer o que deveria ter sido feito. Essas medidas restritivas vão afetar o bolso do paranaense e não há por parte do governo incentivos para manter a economia, manter empregos, gerar renda e garantir que as empresas não fechem”, apontou o parlamentar, que concluiu: “não é a saúde contra a economia. É a saúde em primeiro lugar com o estado dando condições para que a economia não vá por água abaixo”.




A bancada de oposição já havia se posicionado a favor das medidas de isolamento, segundo afirmou o deputado Goura (PDT). Ele apontou a preocupação não só com as medidas que protejam a população contra a doença provocada pelo coronavírus, como também com a proteção às populações mais vulneráveis. “É justamente um momento de gravidade como esse que se mostra a importância social do estado. Além do governo decretar as medidas, é preciso reforçar os braços de apoio”, apontou o deputado. Ele ainda reforçou a crítica de que as medidas demoraram a chegar. “A gente via mensagens contraditórias do governo atendendo as pressões das igrejas ou de grupos de interesses sem levar em conta a gravíssima crise sanitária que estava chegando”, criticou


MOMENTO DELICADO



Na base do governo, a percepção é de que a crise de saúde é grande e que o momento inspira delicadeza. Essa foi a avaliação do deputado Tercílio Turini (Cidadania), que ponderou sobre a visão do governador. “O Ratinho está certo, concordo com as medidas. Imagino que para ele ter tomado tais iniciativas, foi preciso pensar muito. Ele tem perfil da livre iniciativa e, para tomar decisões tão drásticas, é porque a avaliação é muito ruim”, opinou Turini. Ele ainda ressaltou que não é suficiente apenas que seja tomada a decisão. “Não basta só fazer o decreto, agora é fiscalizar. Há limites estabelecidos que evitam reunião de número limitado de pessoas, mas o fato é que quem não precisa não deve ir à rua. E se for, deve usar máscara”, alertou. O deputado ainda lembrou que faltam medicamentos, como anestésicos, para manter a sedação, e que a equipe médica é limitada. “Não há remédio e nem vacina. Esta é a única forma de garantir vidas”, concluiu.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo