Da Redação
Curitiba foi a primeira cidade a ser beneficiada com o pacote saneador baixado pelo governo do Estado, no início da semana passada, para resgatar a imagem da segurança pública. A cidade conta, desde ontem, com o policiamento extra de 150 motos-patrulha. Os equipamentos foram entregues pelo governador Jaime Lerner (PFL), durante solenidade.
As motonetas foram distribuídas entre os quatro batalhões que atuam no policiamento da capital e fazem parte do Sistema Integrado de Proteção ao Cidadão. A segunda fase do programa prevê a distribuição de mais 200 motos-patrulha, 50 para Londrina, 50 para Foz do Iguaçu e outras 100 para a Região Metropolitana de Curitiba.
Além das motos, que ficarão aos cuidados da Polícia Militar, o governo prepara a distribuição de veículos. Os carros integrarão a frota oficial em maio, conforme informou o comando geral da PM. A distribuição obedecerá a três critérios: índice de criminalidade da cidade, fluxo de veículos e número de ocorrências.
Na solenidade de ontem, foi anunciada ainda uma parceria entre a PM e as oito cooperativas de radiotáxi fixadas em Curitiba. Os cerca de 1.500 taxistas poderão ajudar a Polícia na agilização das ocorrências, repassando informações pelo sistema interno de comunicação, no caso, radiotransmissor. ‘‘É uma rede auxiliar importante porque protege mais o taxista e permite que ele dê informações que ajudem a comunidade’’, afirmou o governador Jaime Lerner.
O protocolo foi quebrado quando o comandante-geral da Polícia Militar do Paraná, coronel Guaraci Moraes de Barros, reclamou da ‘‘ausência’’ do governador. ‘‘Pensávamos que o senhor tinha nos esquecido’’, disse o coronel, em seu discurso. Em entrevista à Folha, o comandante da PM tratou de dar um tom mais diplomático. ‘‘Nesses quatro meses em que estou no comando, esta foi a primeira visita do governador. Foi apenas isso o que eu quis dizer’’, tangenciou.