Da Redação
A CPI Estadual do Narcotráfico de São Paulo já tem nas mãos um volume de provas suficiente para desmontar a mais importante conexão do tráfico de drogas descoberta no Estado, a chamada Conexão Atibaia. A cidade de Atibaia é uma tranquila estância hidromineral localizada na Serra da Mantiqueira, 90 quilômetros da capital. A descoberta do braço do traficante carioca Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, em Curitiba, foi fundamental para a descoberta da Conexão Atibaia (leia texto abaixo).
Uma operação conjunta da CPI Estadual, da Aeronáutica e das polícias Civil, Militar e Federal resultou em pilhas de documentos que mostram as ramificações nacionais da Conexão Atibaia e a existência de uma quadrilha que agia a partir de hangares e empresas de aviação montados no aeroporto da cidade.
O deputado Renato Simões (PT-SP) afirmou que já estão confirmadas as ligações da Conexão Atibaia com Fernandinho Beira-Mar; com o mega-traficante de cocaína do Mato Grosso, Waldemar Marchezan e ainda com quadrilhas de assaltantes e traficantes do Paraná, Rio de Janeiro e Espírito Santo.
Para o deputado Simões, esta é a primeira grande conexão do narcotráfico que começa a cair em São Paulo. ‘‘As conexões do narcotráfico feitas por terra usualmente nos levam ao varejo, ao pequeno traficante. Esta grande conexão aérea nos leva aos traficantes realmente poderosos, aqueles que transitam nos altos escalões econômicos da sociedade’’, afirmou.
As implicações da Conexão Atibaia vinham sendo investigadas em sigilo pela CPI até quinta–feira, quando quatro dos principais envolvidos – José Gomes Filho, Odarício Quirino Ribeiro Neto e seu sogro Abrão Jacó, de Atibaia e José Ferreira da Silva, de São Paulo – deveriam depor em sessão reservada na Assembléia Legislativa paulista.
Como nenhum deles apareceu, a Justiça expediu mandado de prisão para três dos envolvidos e mandado judicial de busca e apreensão em suas casas e em dois hangares do Aeroclube de Atibaia. Um dos hangares pertence a Ribeiro Neto e o outro a Gomes Filho, empresários poderosos e bem relacionados na cidade. Nenhum dos procurados foi encontrado pela polícia.
No hangar da empresa União Sistemas e Serviços, de propriedade de Ribeiro Neto, foi localizado o avião de prefixo PT-SX, envolvido em uma ocorrência até agora não explicada em Varginha, Minas Gerais. O avião foi abandonado numa estrada, há dois meses. A polícia chegou e não encontrou nem o piloto, até agora não identificado, e nem a carga. Foram apreendidas ainda, no hangar e na casa de Ribeiro Neto, agendas, canhotos de talões de cheques e dezenas de documentos de compra e venda de aeronaves.
No escritório de Gomes também foram apreendidas pilhas de documentos e quatro caixas de munição de grosso calibre, utilizadas em armamento exclusivo das forças armadas. Quatro cheques, que totalizam mais de R$ 30 mil, emitidos por Ribeiro Neto, também comprovam segundo os deputados da CPI, a ligação comercial entre os dois envolvidos.
Análise preliminar dos documentos revelam um alto volume de movimentação financeira, com depósitos de mais de US$ 750 mil em favor de pessoas ainda não conhecidas pela CPI. Segundo o deputado Dimas Ramalho (PPS-SP) estes valores são claramente ‘‘incompatíveis com empresas de hangaragem e manutenção de pequenos aviões, como estas’’.
Os mais de vinte aviões que se encontravam nos dois hangares começaram a ser checados e vistoriados por especialistas da aeronáutica esta semana. A CPI quer saber a procedência de todos eles e conhecer todos os planos de vôo realizados nos últimos anos.