Cláudio Humberto De Brasília Cláudio Humberto Rosa e Silva E-mail: [email protected] www.claudiohumberto.com.br ‘‘O paulistano não aguenta mais ser comandado por uma quadrilha’’ (De Lula, presidente de honra do PT, elogiando a atitude de Nicéa Camargo) FHC nasceu na Alemanha Às vésperas de completar 70 anos e seis após a sua primeira eleição para presidente, Fernando Henrique Cardoso continua sonegando um detalhe essencial de sua biografia: ele não nasceu no Rio de Janeiro no dia 18 de junho de 1931, como informa o registro num cartório do bairro de São Cristóvão, tampouco na maternidade Pró-matre. FHC nasceu em Berlim, Alemanha, onde seu pai, militar, se encontrava em missão oficial. Quem foi o Doutor X? O documento original do nascimento, na Pró-matre, na Praça Mauá, centro do Rio, informa que o parto foi normal e que terá ocorrido às 20h de 18 de junho de 1931. Mas não é verdade: o próprio FHC confirmou o local de seu nascimento a um velho amigo, que hoje integra grupo político que lhe faz oposição. Na Pró-matre, o nome do suposto médico e seu carimbo ‘‘estão muito apagadinhos’’, segundo a diretora. É norma da instituição não divulgar esses dados, a não ser por imposição judicial. Rastro de Pitta O prefeito Celso Pitta, caiu na ‘‘malha fina’’ da Receita Federal, por isso ele ainda não viu a cor da restituição do seu imposto de renda de 1999. Pensando bem... ...está hora de criar a CPI dos Maridos. Sujou geral Comentário geral em Brasília: d. Nicéa jogou o pitta no ventilador. A vida é bela O grave problema da violência mafiosa deve estar solucionado. Para o deputado Agnelo Queiroz, só isso explica a redução de R$ 67 milhões para R$ 63,6 milhões da verba destinada pelo Ministério da Justiça ao programa de Combate ao Crime Organizado no Brasil. A redução foi determinada pelo próprio governo, durante a tramitação do projeto de orçamento para o ano 2000. ‘‘Marocas’’ encrencado Não dá mais para segurar o que muitos falavam à boca pequena sobre o queridinho dos intelectuais brasileiros. O ex-presidente português Mário Soares foi citado num explosivo relatório da ONU que identificou países e personalidades internacionais que nos últimos dez anos contrabandeiam diamantes de Angola com a ajuda do bandoleiro da Unita, Jonas Savimbi. O grupo, que segundo o relatório inclui a Bélgica e a África do Sul, violou as sanções impostas à guerrilha, financiada pelo contrabando. Palmatória em ação Um dos papéis que mais agradam a ACM é o de justiceiro. Esta semana, ao verificar que estava agendada uma conversa com deputados sobre salário mínimo, notou que receberia os deputados Luiz Antônio Medeiros (PFL-SP) e Aloísio Mercadante, o líder do PT. Reagiu imediatamente: ‘‘e o Paim? Ele tem que participar disso’’. E ordenou a substituição de Mercadante pelo deputado Paulo Paim (PT-RS), antigo militante da causa de um salário mínimo decente neste País. Extermínio, a Missão Tal como na Bahia e em Pernambuco, tão cedo não sai uma CPI do crime organizado em Sergipe, conhecido como ‘‘A Missão’’. Pistoleiros, fazendeiros, empresários, alto e baixo clero da PM, advogados e promotores estão há quase dez anos envolvidos em assassinatos de encomenda, sumiço de processos, afastamento de juízes etc. A investigação recomeça agora graças à coragem do juiz Pedro Freitas Neto. Apesar da Lei da Mordaça, que entrou em vigor no Estado antes mesmo da aprovação no Congresso. Auxílio-boeing Tam-tam-tam... Vem aí nova licitação para mais uma viagem de FHC. Aposentado o ‘‘Sucatão’’, mês que vem será definido em que asas voará o presidente, segundo o ministro da Defesa Geraldo Quintão. Na Varig, informa-se que há uma ‘‘promessa’’ do Planalto de fazê-la vencedora da nova ‘‘licitação’’. A Tam faturou a primeira - para a viagem a Lisboa. O ministro descarta para este ano e compra de um aparelho novo, por falta de recursos. Mas ano que vem... Loteca familiar Irmão, secretário, eminência parda e PC (Preferencial Correligionário) do governador Ronaldo Lessa (PSB), Otávio Lessa está empenhado na organização da loteria estadual de Alagoas. A turma acaba de retornar de proveitosa viagem a Espanha, onde tudo foi acertado. Porcolinos Finórios Os ilustres deputados pernambucanos, que já têm direito ao auxílio-paletó e agora garantiram o auxílio-parente, sequer se dão ao trabalho de fiscalizar os gastos das entidades que ‘‘ajudam’’. Ninguém sabe o endereço delas e, somando a grana toda, são R$ 11 milhões anualmente, que poderiam ter real finalidade social e não engordar os cofres de Finórios gananciosos. Uma deputada do PCdo B disse não ter o menor controle da distribuição das verbas do seu latifúndio pilantropo. Zecapittadas Zeca do PT (ou do PFL?) apronta mais uma. Segundo o STJ, o governador do MS está envolvido numa transação estranhíssima: aprovou o pagamento de uma indenização de R$ 233 mil ao vice-presidente do TJ estadual, desembargador Luís Carlos Santini. Santini acionou o Estado, pois teve negada no governo anterior uma verba oficial para realizar um curso. São dele as sentenças no caso de dívidas de precatórios estaduais e estava sempre dando uma força ao governador, umas ‘‘pittadas’’ de apoio, protelando as decisões. Caixinha, obrigado A popularidade do governador Jaime Lerner no Paraná não anda lá bem das pernas, mas ele fatura prestígio em Los Angeles, nos Estados Unidos, que vai adotar o ‘‘Ligeirinho’’ - um sistema rápido de transporte coletivo que ele implantou em Curitiba. Os dólares dos royalties vão para o seu Instituto Jayme Lerner, que patenteou as inovações implantadas em Curitiba nas duas vezes em que ele foi prefeito. O PODER SEM PUDOR Atenção ao microfone... A história é lembrada por Valdir Vaz, leitor da Paraíba com talento de escritor. Valdir gosta de recordar os anos 60, tempo em que as pessoas dançavam juntas, e até homem com mulher. Música se chamava música e os instrumentos eram acústicos, e não eletrônicos. ‘‘Creio que o sintetizador está para a música assim como o vibrador está o sexo: o resultado parece o mesmo, a emoção é que faz a diferença’’, resume. Conta a lenda dos idos de 1960, reproduzida por Valdir Vaz, que logo após a sua eleição, e em meio às comemorações, o vice-presidente João Goulart subiu ao palanque e perguntou a um assessor: - O que é que eu falo para esse povinho de merda? A resposta foi incontinente: - Se eu fosse o senhor começava pedindo desculpas, porque o microfone está ligado... E-mail: [email protected] www.claudiohumberto.com.br