‘‘O nível do salário mínimo atual é aviltante’’
(De ACM, só para chatear FHC, reafirmando sua opção preferencial pela pobreza)

Anões: o eterno retorno
Chamam-se Zuleido Veras e Latif Abud os ‘‘talentosos’’ ex-dirigentes da OAS que criaram a própria empreiteira e encantam corações e mentes, no Congresso. Têm tudo para trazer à luz, novamente, a fama, a glória e os métodos da Comissão de Orçamento.

Tudo em casa
Amor com amor se paga. Muito gentil com o governo do Rio de Janeiro, sobretudo no cálculo fajuto dos royalties sobre reservas petrolíferas no Estado, o presidente da Agência Nacional de Petróleo, David Zylberstajn, o primeiro-genro, arranjou para o irmão José o cargo de subsecretário de Agricultura do amigo Anthony Garotinho. E todos viverão felizes para sempre.

O patrono do fim
Mário Sérgio Duarte Garcia, conceituado jurista, é o responsável pelo bem alinhavado processo da separação judicial do casal Celso Pitta, prefeito de São Paulo, que tramita em segredo de justiça.

Família estraçalhada
O prefeito Celso Pitta mora sozinho na suíte de um hotel do Ibirapuera, bairro paulistano, enquanto sua (quase ex) mulher Nicéa vive sozinha no apartamento dos Jardins, de onde só sai para sessões de psicanálise. A filha permanece em Nova York e o filho resolveu estudar em Londres.

Chapéu alheio
O novo presidente da estatal BR Distribuidora, Luiz Antônio Viana, anda fazendo cortesia com o chapéu (ou o dinheiro) alheio. Ele instituiu gratificações de R$ 1 mil e de R$ 2 mil para funcionários que completam dez e vinte anos de serviço, respectivamente. A conta, é claro, ele manda para o contribuinte, esse otário. Deve ter sido por coisas assim que ele foi demitido da diretoria do Grupo Pão de Açúcar, empresa onde só se dá adeus com a mão fechada.

Ponta do iceberg
Oficialmente, Fernandinho Beira-Mar não é cliente da Iridium, claro.
Mas alguém com lastro financeiro e dados confiáveis se habilitou por ele, dadas as exigências para se obter um celular de ricaço. Enquanto a PF não se coça junto ao FBI, resta à Iridium aparecer nas manchetes, numa dessas associações de imagem pra lá de desagradáveis, porque, segundo a Anatel, as empresas de comunicação são legalmente proibidas de negar serviço a quem quer que seja.

A dor do ministro
Nesta quarta, o ministro da Defesa, Élcio Álvares, passou boa parte da manhã no Hospital das Forças Armadas, em Brasília. Sua assessoria informou, no final da tarde, que sua saúde está nos trinques. Foi apenas tratar de uma dor de dente.

Agulha no palheiro
Se o caro leitor encontrar uma retroescavadeira ou uma carreta-reboque estacionada na garagem do vizinho pergunte se o amigo atua no ramo da construção. É que mais de uma dezena de caminhões-basculante, caçambas, tratores, pás-carregadeiras e outros veículos de grande porte vêm sumindo há três anos dos canteiros de obras do Rio sem deixar vestígio. A denúncia é da Associação dos Empreiteiros do estado. Para conferir as características dos bichões é só acessar www. aeerj.com.br

Atropelar, pode?
A cem metros do forte de Copacabana, na noite do réveillon, uma das motos de batedores da Polícia do Exército, a serviço de FHC, atropelou uma família inteira, provocando queimaduras e fraturas numa senhora. Empenhada em protestar contra a agressão a jornalistas que cobriam a festa do presidente, parte da imprensa carioca ignorou o acidente.

Entregando os anéis
Quem se lembra de Gilberto Scarpa, aquele que pagava cachês a artistas (como Gina Lolobrigida) para enfeitar seus banquetes? Amigos da onça do empresário festeiro informam que ele acaba de entregar a um banco a sua espetacular mansão no balneário de Punta del Leste, no Uruguai, em troca de uma dívida de US$ 5 milhões. Dizem mais: a mansão é mesmo estupenda, mas não vale nem US$ 1,5 milhão.

Assédio controlado
Maria Sílvia Bastos Marques, da Companhia Siderúrgica Nacional, retorna do seu fim-de-ano na Bahia com uma coleção de ‘‘torpedos’’ disparados por mancebos que souberam de sua recente separação. Olímpica e com os olhos postos apenas nos filhos, administrou as investidas com o mesmo talento que dedica aos negócios da CSN.

Tem que se desculpar
Já passou a hora de a concessionária NovaDutra pedir desculpas aos usuários, em letras garrafais, pelos transtornos que causou na maior rodovia do País. Em seu endereço na Internet novadutra.com.br constam como melhorias realizadas somente obras nas marginais no Rio e São Paulo, passarelas, escadas, reformas e ampliação de pontes e viadutos, trevos e pontes de ônibus. Esqueceram que, em janeiro, quase sempre chove no Brasil e, às vezes, muito.

Chumbo grosso
Chumbo na água do Rio a Cedae garante que não tem. Mas o chumbo no bolso de cariocas e fluminenses já está garantido para este mês, pesando uma tonelada. Os preços da cesta básica subiram quase 20%, devido especialmente ao repasse dos aumentos das tarifas públicas, segundo o presidente da Associação Brasileira de Supermercados, Arthur Sendas. A única coisa que não aumentou foi a segurança dos cidadãos. A propaganda do governo na TV fala em oito mil policiais nas ruas, mas no jornal O Dia, de 2/1, o próprio secretário de Segurança, Josias Quintal, falou num reforço de três mil homens.

Em família
A TV Paróquia está dando Ibope. Primeiro foi Márcia Peltier entrevistando o maridão, Carlos Arthur Nuzman, na Band. Agora chegou a vez de Galvão Bueno, que adentrou o século XXI entrevistando o filho, Cacá Bueno, na Globonews.

O PODER SEM PUDOR

De cavalos e mulheres
O velho líder gaúcho Flores da Cunha caminhava pelo Rio de Janeiro, quando foi surpreendido por um amigo:
- Governador, como tem passado?
Já no fim da vida, o ex-governador era um poço de queixas:
- Não estou muito bem. As finanças estão em baixa. Mas farei um empréstimo no banco e resolverei isso...
- Eu não acredito, governador. O senhor foi tudo na política. Como, logo o senhor, tendo que fazer um empréstimo para as despesas diárias?!
O velho Flores pensou um pouco e respondeu:
- Meu mal, caro amigo, foram os cavalos mancos e as argentinas ligeiras...