Os candidatos a prefeito de Maringá, José Cláudio (PT) e Dr.Batista (PTB), falam de suas propostas para as áreas de habitação, educação, segurança e meio ambiente. O déficit habitacional em Maringá é grande, tanto que o último cadastramento realizado pela Cohapar atraiu 8.400 famílias. A Associação dos Mutuários de Maringá cobra também apoio aos mutuários inadimplentes, que correm o risco de serem despejados. O petista defende o sistema de mutirão para poder construir mais casas populares, enquanto Dr.Batista informa que pretende criar uma cooperativa habitacional.
No meio ambiente, o futuro prefeito terá de se preocupar, segundo ambientalistas, não só com a área urbana. É preciso também uma atenção especial para a zona rural, repondo as matas devastadas no campo. ‘‘Não se trata de uma questão estética, mas econômica’’, ressalta o presidente da Associação de Defesa e Educação Ambiental de Maringá (Adeam), Alberto Contar.
Na opinião de José Cláudio, é preciso trabalhar a consciência do agricultor, ‘‘que é um bom profissional, tem terra fértil e boa vontade, mas que, como o resto do País, está jogado à mercê da sorte.’’ Já Dr.Batista promete criar uma secretaria específica para o meio ambiente, tendo como prioridades a produção de mudas e o reflorestamento da zona rural.
Na edição de ontem, José Cláudio e Dr.Batista explicaram suas propostas para para as áreas de saúde, geração de empregos e atração de empresas. Os questionamentos sobre todos estes assuntos foram feitos por representantes de entidades civis organizadas, que querem mais poder de decisão nas propostas a serem colocadas em prática pelo futuro prefeito.

PROPOSTAS