Sem investir praticamente nenhum recurso, e fazendo apenas um apelo emotivo aos eleitores, contido numa carta distribuída por familiares e voluntários, Leonor Gobetti, 45 anos, conseguiu eleger-se vereador em Jandaia do Sul (28 km a oeste de Apucarana). Paraplégico e com falência dos rins, ele pediu a ajuda dos jandaienses, explicando que precisava do salário de vereador para custear um transplante de rim.
Com 330 votos, Gobetti (PST) foi o mais votado na coligação PSC/PST, que tinha como candidato a prefeito o pecuarista Dito Púpio. Para ele, a vitória não foi sua e sim ‘‘de Deus, da humildade e simplicadade’’. ‘‘Em Jandaia é dificílimo conseguir uma cadeira na Câmara sem investir muito dinheiro’’, justificou.
Ele conta que sua vida mudou a partir de 1984, quando era caminhoneiro e foi vítima de um disparo de revólver efetuado por um policial rodoviário. Na época, ganhando seis salários mínimos, Gobetti ficou paraplégico e, apesar de ter acionado o Estado e ter ganho a causa em todas instâncias, até hoje não foi indenizado pelo Estado.
Agora, com um salário de R$ 2.173, a partir de janeiro, e com a ajuda de uma irmã, que está disposta a doar um rim, Gobetti espera poder conseguir superar as dificuldades.