O patrimônio declarado pelo candidato a senador pelo Paraná Marcelo Almeida (PMDB) à Justiça Eleitoral é 2,8 vezes maior que o acumulado por todos os outros sete candidatos ao mesmo cargo e os dezesseis suplentes. O suplente de deputado federal e herdeiro da construtora CR Almeida declarou à Justiça Eleitoral quase R$ 740,5 milhões. As informações estão disponíveis para consulta no DivulgaCand2014, sistema fornecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em fevereiro, Almeida figurava na terceira posição entre os políticos "mais ricos" do Brasil, segundo a revista norte-americana Forbes, que elaborou a lista com base em dados do TSE.
A diferença entre os bens de Almeida em relação aos outros só não é maior por causa do empresário Joel Malucelli (PSD), que declarou à Justiça Eleitoral R$ 236 milhões. Malucelli é suplente do senador Alvaro Dias (PSDB), que tenta a reeleição este ano. Quando comparado apenas com os sete adversários, a fortuna é 221 vezes maior. A metade não tem bens em seus nomes, conforme consta no banco de dados do TSE.
A evolução do patrimônio de Almeida aumentou 753,5%, ou 8,5 vezes, desde 2006, quando foi candidato a deputado federal. Na ocasião, o patrimônio declarado foi de R$ 86,67 milhões. Porém, deu um salto para R$ 708,9 milhões em quatro anos – o montante foi o declarado à Justiça Eleitoral em 2010.
O segundo candidato com maior patrimônio é o senador e ex-governador do Paraná Alvaro Dias, com patrimônio declarado de R$ 2,9 milhões. A cifra é 52,6% maior que a última declaração à Justiça Eleitoral, para a campanha de 2006, quando foi eleito. À época, ele tinha R$ 1,9 milhão.
Já Ricardo Gomyde, candidato ao Senado pelo PCdoB, viu seu patrimônio diminuir ao longo dos anos. Quando se candidatou a deputado federal em 2006, declarou ter R$ 232,4 mil em bens. O valor já havia reduzido para R$ 133 mil na eleição seguinte, quando pleiteou a Prefeitura de Curitiba em 2008. Dois anos depois, diminuiu praticamente pela metade, chegando a R$ 65.336. Este ano, o patrimônio declarado é de R$ 10.625, o equivalente a 4,5% do que possuía há oito anos.

Suplentes
Entre os 16 suplentes de candidato ao Senado Federal, oito também declararam não possuir bens.
Na outra ponta, quem mais chama a atenção é Joel Malucelli, que entra na disputa eleitoral pela primeira vez com Alvaro Dias. Porém, além dele, outros três são declaradamente milionários: o ex-deputado estadual Antonio Annibelli (PMDB), com R$ 11,298 milhões em patrimônio; Herculano Lisboa (PMDB), com R$ 8,023 milhões; e Paulo Pratinha (PCdoB), 3,7 milhões.

Imagem ilustrativa da imagem Candidato ao Senado declara ter R$ 740 mi