Agência Estado
De Brasília
Depois de ter defendido o fuzilamento do presidente da República, o deputado federal Jair Bolsonaro (PPB-RJ) disse ontem que gostaria de conversar com Fernando Henrique. Salientando que não sabe se o presidente aceitaria marcar um encontro com ele, Bolsonaro afirmou que ‘‘quem sabe’’ poderia colaborar com o País.
O plenário da Câmara deverá votar em meados de fevereiro a suspensão temporária do mandato de Bolsonaro como punição por suas declarações. A expectativa era de que a votação ocorresse em janeiro, mas a mesa diretora alegou que o assunto não está na pauta extraordinária. Bolsonaro disse que não acredita que na aprovação da perda temporária do mandato.