Patrícia Zanin
De Londrina
O prefeito de Londrina Antonio Belinati (PFL) vai ser ouvido pelo Ministério Público (MP) na próxima terça-feira, às 14 horas, sobre o caso AMA-Comurb. O depoimento estava marcado para depois de amanhã, mas ontem foi transferido para a semana que vem, a pedido de Belinati. O prefeito alegou à promotoria que vai ser submetido a uma cirurgia. Será o primeiro depoimento dele ao MP desde que as investigações começaram, há um ano e um mês.
Belinati requisitou ao promotor Cláudio Esteves a transferência de data de seu depoimento ontem, às 18 horas. Jornalistas de quatro veículos de comunicação, incluindo a Folha, estavam deixando a sala de Esteves quando o prefeito telefonou. Segundo o promotor, Belinati informou estar em São Paulo e pediu para adiar o depoimento por causa de uma operação. À Folha, Belinati havia confirmado de manhã, em entrevista por telefone, de São Paulo, que vai se licenciar do cargo nos próximos dias para tratar de problemas de saúde e realizar uma cirurgia dermatológica. Ele tem câncer de pele.
Recentemente, o prefeito foi submetido a uma radiografia e a uma tomografia e aproveitaria a viagem a São Paulo para a realização de uma cintilografia – um exame utilizado pela medicina nuclear para detectar tumores e estudar a função dos órgãos. Nos últimos dias, Belinati tem se queixado de dores na região gástrica. No sábado, durante um culto evangélico realizado no Ginásio Moringão, cerca de 6 mil pessoas rezaram pela saúde dele. O culto teve a presença da vice-governadora Emília Belinati (PTB), mulher de Belinati.
No entendimento de assessores de Belinati, durante a licença, que deve durar poucos dias, deve assumir o cargo o presidente da Câmara, Renato Araújo (PPB). Isso porque o município não tem vice-prefeito – Alex Canziani renunciou ao cargo para cumprir mandato na Câmara Federal. Se Araújo não assumir, a assessoria de Belinati entende que a vaga deve ser ocupada pela diretora do Fórum, Lídia Maejima.
Ontem, Araújo disse à Folha que não assumirá o cargo de prefeito se for por poucos dias. ‘‘Eu me tornaria inelegível’’, lembrou. Ele vai tentar seu sétimo mandato como vereador em outubro e disse que só assumiria se ficasse na prefeitura até o final do mandato. Araújo entende que precisaria conversar com o prefeito, mas ‘daria conta’ do desafio.
No caso de Belinati licenciar-se por poucos dias, o presidente da Câmara defende que deve assumir o vice-presidente do Legislativo, Jorge Scaff (PSB), que não é candidato à reeleição. A diretora do Fórum informou ontem à Folha que o sucessor de Belinati é o presidente da Câmara. ‘‘Estou só preocupada em dirigir o Fórum’’, afirmou.Devido a uma cirurgia, depoimento foi transferido para semana que vem. Licença será formalizada nos próximos dias
Arquivo FolhaPRIORIDADELídia Maejima: ‘‘Estou só preocupada em dirigir o Fórum’’Arquivo FolhaELEIÇÕESRenato Araújo não assume se for por poucos dias