Barbosa defende Fábio Góes no caso das emendas


Reportagem Local
Reportagem Local

O prefeito de Londrina Barbosa Neto (PDT) negou qualquer irregularidade no fato de dois ex-deputados federais do Rio de Janeiro terem apresentado emendas no valor de R$ 18,5 milhões para obras na cidade. O dinheiro não chegou a ser liberado porque o município não apresentou contrapartida. O Ministério Público Federal (MPF) investiga a motivação das emendas e a suspeita é que tenha havido pagamento de propina. O intermediário seria o ex-chefe de gabinete de Barbosa, Fábio Góes, que exonerou-se após ser denunciado por suposta corrupção no esquema da Saúde. Os então deputados Leo Vivas e Vinícius Carvalho exerceram mandato entre 2007 e 2010 e não se reelegeram.
Barbosa, que até ser eleito prefeito, em 2009, era deputado federal, disse que as emendas foram apresentadas pelos então colegas, que queriam ajudar Londrina. ''É preciso mostrar onde diz que o ex-chefe de gabinete (Fábio Góes) teria feito pagamento aos deputados. Há ofícios, assinados por mim, solicitando a vinda dos deputados para conhecer a realidade de Londrina, para que pudessem ajudar na questão da saúde e do asfalto'', justificou. ''Tenho, ou pelo menos tive, um relacionamento de amizade com o deputado Vinícius Carvalho, que foi meu contemporâneo na Comissão de Direitos do Consumidor.''

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo