Pedro Livoratti
De Londrina
A manifestação de apoio do ministro dos Transportes Eliseu Padilha ao Fórum dos Usuários das Rodovias, que será realizado nesta sexta-feira, às 16 horas, no Hotel Sumatra, em Londrina, incentivou mais entidades a participar do encontro que pretende criar uma estrutura para que os usuários possam se envolver nas decisões envolvendo as rodovias pedagiadas do Paraná – e ampliar a discussão em termos nacionais. Mais de 40 entidades já confirmaram participação no fórum.
Em entrevista exclusiva ontem à Folha de Londrina/Folha do Paraná, o ministro destacou por diversas vezes a necessidade da sociedade civil participar de todo o processo envolvendo a concessão de rodovias. ‘‘Este apoio importante confirma a proposta das entidades que efetivamente querem fazer parte desta discussão’’, afirmou ontem à tarde o coordenador do encontro, presidente da Associação dos Abatedouros e Produtores Avícolas do Paraná (Avipar), Paulo Muniz. A realização do fórum foi sugerida pelo superintendente da Folha, ex-senador e ex-ministro José Eduardo Andrade Vieira.
Muniz afirmou que a criação de comissões tripartite, obrigatórias por lei para acompanhar rodovias pedagiadas, vem ao encontro das propostas sugeridas pelas entidades que já confirmaram presença no fórum. Este organismo teria a participação da esfera governamental, empresas concessionárias e usuários. ‘‘O governo neste caso divide a responsabilidade com o usuário, já que ele está sendo chamado para participar das discussões’’, disse.
O empresário destaca que, sem esta estrutura, a concessão de rodovias públicas para a iniciativa privada corre riscos de constantes confrontos de interesses. Muniz reforçou que o encontro de sexta-feira pretende elaborar um documento para ser apresentado no seminário marcado para o próximo dia 18, em Curitiba, promovido pelo Sindicato das Empresas de Cargas do Paraná (Setcepar), que também conta com o apoio da Folha de Londrina/Folha do Paraná e de outras representações civis.
Muniz adiantou que o documento, segundo reivindicações já repassadas pelas entidades, deverá elencar sugestões para a comissão tripartite. Entre os pontos já relacionados estão necessidade de clareza na definição dos investimentos previstos para as rodovias, participação de regiões na priorização de obras, divulgação da planilha de custos e introdução de valores de pedágios cíclicos – durante obras de investimento. ‘‘Queremos sugerir em toda a amplitude de quem paga uma conta’’, afirmou Muniz.
Sobre a reunião realizada anteontem em Curitiba entre membros do governo do Estado e setores produtivos para discutir o impasse relacionado ao pedágio (cujo pedido de reajuste está na Justiça), Muniz afirmou que o fórum pretende ampliar o debate. ‘‘Isso é apenas o varejo. O que pretendemos é uma discussão ampla, de caráter nacional, que trate de todos os assuntos, não apenas o pedágio, relacionados às concessões’’, afirmou.
Ainda segundo o coordenador do fórum, o documento que deverá ser elaborado na sexta-feira pretende sugerir a criação de um organismo, nos mesmos moldes da comissão tripartite anunciada pelo ministro dos Transportes Eliseu Padilha. Paulo Muniz afirma também que os usuários deverão ser representados por quatro macrorregiões do Estado.Já são 40 entidades confirmadas para encontro que pretende discutir concessão de rodovias pedagiadas no PR
César AugustoINCENTIVOMuniz: ‘‘É a confirmação da proposta dos usuários que efetivamente querem fazer parte da discussão das concessões’’