Atrito com Roberto Jefferson provoca debandada no PTB do Paraná

Presidente estadual da sigla, Alex Canziani nega intervenção no Paraná, mas confirma convites para migrar para outros partidos

Guilherme Marconi - Grupo Folha
Guilherme Marconi - Grupo Folha

Presidente nacional do PTB, partido do centrão, Roberto Jefferson trabalha nos últimos meses na tentativa de abrigar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para a legenda, caso o projeto de criação do Aliança pelo Brasil não avance para a disputa eleitoral de 2022. Para conseguir seus objetivos, o ex-deputado tem provocado atritos com os diretórios municipais e estaduais da sigla, incluindo intervenções em alguns estados. Já no Paraná, o presidente estadual do PTB, o ex-deputado Alex Canziani, nega rumores de intervenção. Entretanto, em Curitiba, o vereador Pier Petruziello publicou oficialmente nessa quarta-feira (20) o licenciamento da presidência do diretório municipal da sigla na capital e ameaça deixar o partido.  

 

Atrito com Roberto Jefferson provoca debandada no PTB do Paraná
Divulgação/PTB
 


O deputado estadual Tião Medeiros, único representante do PTB na Assembleia Legislativa do Paraná, disse à FOLHA que tem divergências profundas com Roberto Jefferson, condenado no escândalo do "mensalão". "Julgo inadequada a condução dele à frente do PTB. Ele (Jefferson) usa o partido para interesses pessoais e está acabando com o partido, que já foi grande. Dificilmente permanecerei na legenda". A próxima janela partidária para deputados migrarem de partido, sem ter o mandato ameaçado, ocorre entre março e abril de 2022.  


Alex Canziani, que foi nomeado recentemente ao cargo de secretário municipal de Governo na gestão Marcelo Belinati (PP), negou rumores de que teria sido afastado do diretório estadual. "Houve algumas intervenções em alguns estados, mas não é o caso do Paraná". Questionado pela reportagem, o ex-deputado federal disse que não é contra a manobra de Jefferson de tentar abrigar Jair Bolsonaro no PTB. "Não, não sou contra", respondeu.


Mesmo permanecendo na presidência do PTB paranaense, Alex Canziani confirmou que ele e sua filha - a deputada federal Luísa Canziani (PTB) - têm recebido convites de outros partidos. "Estamos avaliando todos os quadros, fomos convidados por outros partidos e vamos aguardar uma definição antes de tomarmos qualquer decisão." 


Luísa Canziani também é hoje a única representante da bancada do PTB-PR no Congresso. "Naturalmente, alguns convites de diferentes partidos estão acontecendo, mas não é momento de tomar decisão. A gente não tem uma janela partidária, o meu mandato pertence ao partido. Por isso, vamos analisar com cautela qualquer mudança político-partidária. O meu foco agora é muito mais no meu trabalho parlamentar do que no partido", respondeu Luísa. 


TRAJETÓRIA DE JEFFERSON

Aliado recente de Bolsonaro, Roberto Jefferson é conhecido por aliar a quem está no poder. O presidente do PTB ficou conhecido por ser aliado de Fernando Collor, inclusive dando apoio ao ex-presidente durante a CPI do caso PC Farias. Entre 1995 e 2002 apoiou grande parte das propostas do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Com a eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), se aproximou do petista e conseguiu indicações de nomes do PTB no Ministério do Turismo e Infraero. Logo em seguida, apontado como "homem-chave" do esquema do mensalão, Jefferson começou a atacar o governo Lula.


No governo Dilma (PT), o PTB teve menos espaço, mas assim que Michel Temer (MDB) assumiu a presidência, o ex-deputado tentou sem sucesso emplacar sua filha, a deputada Cristiane Brasil, no Ministério do Trabalho, mas a parlamentar foi barrada pelo Supremo Tribunal Federal. Já nas eleições de 2018 apoiou Geraldo Alckmin (PSDB) no primeiro turno e Bolsonaro no segundo.  


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo