Curitiba A resistência do Palácio Iguaçu não foi suficiente para convencer a bancada de apoio ao governador Roberto Requião (PMDB) a instalar apenas três Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) na Assembléia Legislativa. A base aliada entregou ontem ao presidente da Casa, Hermas Brandão (PSDB), pedido de criação das cinco CPIs: Sercomtel/Copel, Banestado, pedágio, Paranacidade e Jogos Mundiais da Natureza. O Regimento Interno estabelece que somente cinco CPIs podem funcionar ao mesmo tempo.
A base governista cedeu à pressão da ala defensora da criação de todas as CPIs. O primeiro-secretário da Casa, Nereu Moura (PMDB), porta-voz dessa corrente, alegava que, se não fossem montadas todas, ficaria sempre uma dúvida sobre quem não quis investigar o quê. O líder governista, Angelo Vanhoni (PT), defendia há dias a criação de apenas três CPIs, mas o petista acabou subindo à tribuna ontem para justificar a instalação das cinco comissões, que vão investigar basicamente a administração do antecessor Jaime Lerner (PFL).
Vanhoni que entrou no plenário acompanhado de Moura, dando a entender um consenso atribuiu, em parte, a decisão de tocar todas as investigações ao líder da oposição, Durval Amaral (PFL). Amaral afirmou que o governo estava relutante em tocar cinco investigações e não apresentar resultados convincentes à opinião pública. Vanhoni fez um desafio a Amaral: ''o Durval Amaral está sendo escalado pela base do governo para colaborar nas investigações''. Amaral não participou da sessão. Questionado pelos jornalistas sobre a divergência interna da base, Vanhoni declarou que a Assembléia ''não vai funcionar com o centralismo a que vocês assistiram'', referindo-se ao governo anterior, quando o PFL mandava na Casa.
Hermas Brandão leu os requerimentos em plenário e deu prazo até o dia 10 de março para os partidos indicarem os membros que comporão as comissões. Caso os partidos não cumpram o prazo, ele mesmo fará as indicações. As CPIs só começam a funcionar após o feriado de Carnaval. Vanhoni conversou com Requião, e disse que o governador prometeu fornecer aos deputados as todas informações do governo.
Nos próximos dias, os deputados definirão quais serão os presidentes das CPIs. Vanhoni adiantou que Elza Correia (PMDB) deve ficar com a presidência da CPI Sercomtel/Copel, porque foi a autora da proposta. Neivo Beraldin (PDT) deve conduzir as investigações sobre o Banestado. Já Augustinho Zucchi, do mesmo partido de Beraldin, não deve presidir a CPI da Paranacidade, porque membros da mesa executiva não podem participar de CPIs.