Indignada com o que chamou de ‘‘favelização’’ do bairro, a arquiteta Maria Lúcia Leone Massot, 57 anos, despejou na porta da residência do prefeito do Rio, Luiz Paulo Conde (PFL), candidato à reeleição, móveis velhos e entulho de obras. Foi um protesto contra o Favela-Bairro Canal das Taxas, no Recreio dos Bandeirantes, que, segundo ela, transformou toda a vizinhança numa grande favela. Conde afirmou hoje não conhecer Maria Lúcia. ‘‘Sei que existe muito elitismo da parte de certas pessoas que são contra o Favela-Bairro’’, afirmou. ‘‘Elas querem, na verdade, que essas favelas sejam removidas. Segundo ele, Maria Lúcia dever ser amiga de algum adversário político. O prefeito não viu o entulho em frente a sua casa. Quando ele acordou, o lixo havia sido retirado.