Apoiadores de Bolsonaro fazem manifestação 'eu autorizo' em Londrina


Guilherme Marconi - Grupo Folha
Guilherme Marconi - Grupo Folha

 

Apoiadores de Bolsonaro fazem manifestação 'eu autorizo' em Londrina
Isaac Fontana/Framephoto/Folhapress
 



A manifestação com a pauta "Eu autorizo presidente" teve como ponto de partida a rotatória das avenidas J.K e Higienópolis, no centro de Londrina, na tarde deste sábado (1º), feriado do Dia do Trabalhador.  Vestidos de verde amarelo e empunhando a bandeira nacional, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foram às ruas em ato ainda contra o STF (Supremo Tribunal Federal), a favor do tratamento precoce contra o coronavírus e também em crítica às medidas adotadas por prefeitos e governadores para frear a contaminação da infecção. 


Em cima do carro de som engrossaram o coro com discursos do movimento "eu autorizo" foram o deputado federal Filipe Barros (PSL) e a vereadora Jessicão (PP). Motoristas também promoveram um buzinaço no entorno da rotatória. Boa parte preferiu ir a pé e permanecer no local durante a tarde.  Os manifestantes - entre eles muitos idosos - estavam usando máscara, mas nem todos respeitaram o distanciamento social.   


"Eu autorizo o meu presidente a tomar qualquer atitude que seja necessária para o nosso país", disse o técnico em eletrônica, Marcos Raimundo. Questionado pela reportagem sobre qual seria a conduta esperada do presidente, o manifestante fez crítica aos números mostrados pelos meios de comunicação. "A mídia só dá ênfase para os mortes, não fala dos curados. Sabemos que o dinheiro a liberdade, direito ao emprego foi cerceado. Muitos amigos meus perderam empregos por decisões autoritárias de prefeitos e governadores que vai contra o que prega a Constituição".  


A publicitária aposentada, Silmara Lopes, considerou que o apoio irrestrito a Bolsonaro é para fazer frente ao que classifica de "desmandos do STF". Ela também é critica da vacina e a favor do tratamento precoce. "A gente entende que está sendo negado o tratamento precoce e isto está matando pessoas.  A vacina tem muito menos comprovação científica, menos comprovação que esses medicamentos. Eu não vou tomar essa vacina. Eu faço tratamento precoce e me cuido usando máscara e fazendo distanciamento" defendeu. 


Os manifestantes seguiram em passeata e carreta pela avenida Higienópolis até a praça da Bandeira, no calçadão.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo