Ameaça de bomba assusta Câmara
Agentes federais, seguranças da Câmara Federal e bombeiros fizeram ontem uma varredura no plenário da Casa, após denúncia de uma bomba local, que seria detonada às 18 horas. A ameaça de explosão foi feita por um homem, que telefonou para o Departamento de Segurança da Câmara, de um telefone instalado em um mercadinho de Campinas (SP), conforme apurou a PF. De acordo com o chefe da Segurança, Valério Silva, o homem ligou por volta das 15h15, avisando que era preciso ‘‘levar a sério’’ o aviso, porque a bomba teria alto poder de destruição. O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), mandou fazer a varredura no local, mas não suspendeu a votação que estava em andamento. Não foi achada qualquer bomba no plenário. Um pacote suspeito foi aberto com cuidado, mas nada foi encontrado.