Alvaro e Requião vão dividir apoio de Lula


Denise AngeloEquipe da Folha
Denise AngeloEquipe da Folha

Curitiba Na briga por apoios para o segundo turno na disputa pelo governo do Paraná, Alvaro Dias (PDT) e Roberto Requião (PMDB) terão que aprender a dividir as atenções do presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva (PT). E o primeiro teste será nesta quinta-feira, quando Lula estará em Curitiba.
Requião tem o apoio do PT do Paraná. Mas o próprio deputado federal Padre Roque Zimmermann, que ficou em quarto lugar na disputa, adianta que Lula vai visitar o pedetista. ''Lula vai receber o apoio de Alvaro. Ele vai fazer a mesma coisa que fez comigo'', disse Roque, referindo-se à divisão do apoio de Lula entre a sua candidatura e a de Requião no primeiro turno da eleição.
Roque disse ainda que não haverá constrangimento. ''Estão surgindo comitês muito interessantes no Paraná. Amanhã (hoje) mesmo vou ao interior resolver alguns problemas. Assim como estão surgindo comitês Alvaro-Lula, existem alguns que apoiam Requião e (José) Serra'', contou, dizendo que tanto ele quanto Requião concordam com a independência dos apoiadores.
Alvaro conta com o apoio da executiva nacional do PDT para tentar garantir de Lula um tratamento igualitário, já que no plano nacional PMDB, PDT e PT são aliados. O esforço da executiva nacional é o de evitar uma aproximação de Alvaro com o PSDB de José Serra. O presidente estadual do PDT, Nelton Friedrich, participou de um encontro no sábado, em São Paulo, que reuniu todos os partidos que apóiam Lula. Ele garante que não existe nada definido sobre a postura de Lula no Estado.
''Apenas foi formalizado o apoio do PDT do Paraná a Lula, que inicia imediatamente a ação dos comitês Lula-Alvaro. Não existe monopólio. A gente sentiu claramente lá que os petistas querem o apoio do PDT do Paraná'', disse Friedrich. Ele não quis entrar na polêmica dos palanques.
Até o fechamento dessa edição, o PT do Paraná não sabia informar qual será a agenda de Lula em Curitiba. A única informação confirmada era de que no mesmo dia ele visita também o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Por isso, a passagem pelo Paraná deve ser bastante rápida.
O tucano Serra também estará no Paraná esta semana. Mas a sua passagem deve ser mais tranquila, já que ninguém disputa o seu apoio. Serra participará de um encontro com prefeitos, que será realizado na sexta-feira em Maringá. Segundo a coordenação estadual do PSDB, estão sendo esperados 300 dos 399 prefeitos para o encontro, previsto para começar às 13h30.
Embora não seja disputado pelos candidatos ao governo do Estado, Serra tem apoiadores de peso no Paraná. O encontro de Maringá está sendo organizado pelo governador Jaime Lerner (PFL); prefeito de Curitiba, Cassio Taniguchi (PFL); Beto Richa (PSDB), que ficou em terceiro lugar na disputa pelo governo do Paraná; e ainda pelo presidente da Associação dos Municípios do Paraná, Joarez Henrichs (PFL).

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias