Catorze dos 25 deputados federais do Paraná que voltam às urnas em outubro têm mais de R$ 1 milhão em bens declarados à Justiça Eleitoral, segundo levantamento da FOLHA. O partido que mais concentra candidatos milionários é o PSC, com quatro parlamentares que, juntos, declararam R$ 45,78 milhões.
O levantamento da evolução do patrimônio dos candidatos da Câmara Federal levou em consideração apenas os deputados atualmente em exercício de mandato, deixando de fora os suplentes que também voltam às urnas este ano. Dos 30 deputados em exercício na bancada, cinco não se inscreveram no pleito de 2014. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disponibiliza os bancos de dados desde as eleições de 2006. Os valores utilizados eram os disponíveis até a tarde de ontem.
Dos 25 candidatos com mandatos, apenas três não entram na disputa de outubro para o mesmo cargo: Cida Borghetti (Pros) e Rosane Ferreira (PV) entram como candidatas a vice, respectivamente, de Beto Richa (PSDB) e Roberto Requião (PMDB), e Ratinho Júnior (PSC) vai tentar uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná.
Entre candidatos milionários, cinco têm mais de R$ 10 milhões em bens: Alfredo Kaefer (PSDB), Edmar Arruda (PSC), Nelson Padovani (PSC), Dilceu Sperafico (PP) e Leopoldo Meyer (PSB). Somadas, as fortunas somam R$ 168,5 milhões. A maior parte da cifra, entretanto, cabe a Kaefer, que declarou quase R$ 108,6 milhões.
Porém, os detentores das maiores fortunas nem sempre são os que tiveram maior evolução em seus bens. O deputado federal Luiz Nishimori (PR) viu seu patrimônio saltar 1.653% em oito anos. Se, em 2006, seu patrimônio era constituído de parte de capital social de duas empresas e um Honda Civic, num total de R$ 58,9 mil, em 2014 constam em seu nome mais de R$ 1,032 milhão, com dinheiro em contas correntes, participações societárias e um veículo Pajero.
Outro que teve uma ascensão meteórica nos bens é Ratinho Júnior (PSC). O crescimento, neste caso, atinge 1.236,8% entre 2006 e 2014. Há oito anos, o então candidato a deputado federal tinha em bens pouco mais de R$ 595 mil. Este ano, em sua corrida pela cadeira de deputado estadual, a declaração supera os R$ 7,9 milhões. O candidato é filho do apresentador Ratinho, que é proprietário, entre outros empreendimentos, da Rede Massa de Comunicação.
Além dos dois, outros nove candidatos "de carreira" dobraram o tamanho de seus bens nos últimos anos.
Por outro lado, quatro viram seus patrimônios encolherem. É o caso de Giacobo (PR), André Zacharow (PMDB), Hermes Parcianello (PMDB) e João Arruda (PMDB). Este último, aliás, tem a retração mais chamativa, chegando a 79% em quatro anos. Se, em 2010, o banco de dados do TSE indica declarações que ultrapassam R$ 2 milhões, em 2014 chega a pouco mais de R$ 438 mil. A diferença nestes dois casos é uma aplicação de renda fixa no valor de R$ 1,5 milhão no banco Cruzeiro do Sul, que não existe na atual declaração.

Imagem ilustrativa da imagem 14 deputados que voltam às urnas são milionários