EDITORIAL -

Um novo conceito de compra e pagamento


Folha de Londrina
Folha de Londrina

O pagamento instantâneo pode ser a grande novidade do sistema financeiro para o ano de 2020. Uma nova modalidade de transferência foi apresentada pelo Banco Central nesta quarta-feira (19) que promete dar mais rapidez com segurança às transações financeiras.   

Fala-se em uma operação que demora apenas 10 segundos. Em qualquer dia do ano e sem limites de horário, com dinheiro imediatamente disponível ao recebedor.  



O PIX, como foi batizado, já causou expectativa no mercado, mas a sua implantação não será tão rápida quanto o cidadão gostaria. Deverá estar disponível para toda a população a partir de novembro.  

Segundo o chefe adjunto no Decem (Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do BC), Carlos Eduardo Brandt, com o PIX será possível enviar e receber quantias instantaneamente a partir de diversos meios, inclusive aplicativos em smartphones.  

Possivelmente, uma forma de popularizar ainda mais o chamado pagamento por aproximação, quando é possível realizar uma transação utilizando o celular, pulseira e até o cartão, apenas aproximando esses objetos da “maquininha”. Uma modalidade que dispensa o uso de senha, exceto em alguns casos ou quantias elevadas.  

Certamente, a forma como compramos e pagamos não será a mesma. De acordo com o Banco Central, o objetivo é facilitar e agilizar os pagamentos e transferências entre pessoas, empresas e entes governamentais. 

A partir da implantação, o governo federal espera que esse novo meio eletrônico dê mais eficiência ao processo financeiro brasileiro.  

A intenção não é acabar com as modalidades que já existem, como TED, DOC, boleto, cheque e cartões. As transações poderão ser feitas por meio de QR Code ou a partir da inserção de informações simples como número de celular, e-mail, CPF ou CNPJ. 

Lembrando que os cartões de crédito e os boletos são formas bem consolidadas no Brasil e deverão ter continuidade.  

Para usar o PIX, será preciso que pagador e recebedor tenham conta em banco, em uma instituição de pagamento ou em uma fintech. A conta não precisa ser apenas corrente, já que as transações poderão ser feitas usando uma conta de pagamento ou de poupança. 

Além de toda a praticidade que o sistema promete, há uma vantagem muito importante: a competitividade. Uma provocação sempre bem-vinda no mercado financeiro.  

 



Obrigado pela preferência! 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias