OPINIÃO DO LEITOR -

Três comentários pertinentes e preocupantes


Sou leitor assíduo da nossa "FOLHA" e tenho acompanhado comentários muito equilibrados e, principalmente, objetivos sobre a situação econômica e política do nosso País. No "Espaço Aberto" de 29/11, o professor Miguel Luzio dos Santos esclarece como a desigualdade no Brasil é a maior do mundo. O artigo é ótimo e pertinente e termina assim: "Enquanto a conta não se concentrar nos estratos historicamente mais privilegiado, as distorções continuarão a dividir o País e a dar-lhe o título de nação mais injusta do mundo". E termina: "A desigualdade é antes de tudo uma escolha política sustentada por um grupo que não quer simplesmente bem-estar, mas sentir-se superior alimentando-se de privilégios hereditários." O segundo artigo de autoria de Celia Musilli e o terceiro comentário na coluna de Osvaldo Militão referem-se à atual política econômica que está a cargo do ministro Paulo Guedes. A primeira tem o título "Vejo um País dançando à beira do abismo" e, apesar de não tratar diretamente da política monetária, envereda pelo caminho de demonstrar a gana de nossos dirigentes atuais que buscam de todas as maneiras justificar o que acontece na Amazônia, e termina:  "Eu vejo o Brasil dançando à beira do abismo, mas acredito que seremos resgatados pelos anjos da consciência, muito mais forte do que as farsas políticas". Por último, Militão comenta as declarações desastradas do ministro Paulo Guedes quando afirma "Toda vez que Paulo Guedes abre a boca, o dólar dispara". O comentário é pertinente e preocupante, mas acho que não são os comentários desastrosos do ministro que tem esse efeito. Comentários indesejados do presidente também influem. Acompanhando, como todos deveriam fazer, a realidade do que vem acontecendo, acho de que está mais do que na hora da atual administração eleita do Brasil começar a governar de fato!!! 

Edgar Baer (advogado) -  Londrina 


LEC X Tapetão 

Pior do que cair para a Série C do Brasileiro, é tentar achar brecha na Justiça para permanecer quando não há parâmetros para isso. Senhores, vamos ver onde erramos e acertar para voltarmos às séries B e A com dignidade. Incompetência tem limites, não extrapolem para não ficar mais ridículo do que foi o time cair por total incompetência de todos... dois  pontinhos nos derrubaram.. pensem nisso. 



Antônio Carlos Pescador (autônomo) - Londrina

 

 


Continue lendo


Últimas notícias