A criança precisa saber onde ela mora para formar sua identidade. Essa é a opinião da assessora de história da Secretaria Municipal de Educação, Eline André Dornelas. Segundo ela, as escolas se acostumaram a cobrar datas e nomes, tornando o estudo uma tarefa chata.
''Hoje em dia, pensamos diferente. Partindo da idéia de que o conhecimento só é adquirido quando ele tem significado, procuramos fazer um paralelo entre o passado e a realidade e desenvolver o pensamento crítico dos alunos'', comenta Eline Dornelas.
Para alcançar este objetivo, os professores da rede pública de Londrina estão sendo estimulados a buscar cada dia mais informações. Eline acredita que a maior dificuldade deles é saber como usar os instrumentos disponíveis em tempos de globalização. ''O abandono das praças é uma falha cultural que, assim como o hábito de jogar lixo nas ruas, é resolvido com educação'', afirma. Além do longo tempo que esse processo demanda, a assessora de história cita como outro obstáculo a falta de continuidade na sucessão de governos.