Com a aproximação do segundo semestre, os preparativos para as eleições municipais de 2024, marcadas para 6 de outubro, no 1º turno, começam a se intensificar. O total de eleitores aptos a votar em cada um dos 5.568 municípios brasileiros só será conhecido, oficialmente, em meados de julho. Porém, balanço parcial do TRE-PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná) divulgado no dia 6 de junho aponta que Londrina chegou à marca de 399.855 eleitores, número 1,54% maior do que os 393.687 aptos a votar em 2022.

Previsão anterior da Justiça Eleitoral dava conta que Londrina havia ultrapassado a faixa dos 400 mil eleitores, porém a revisão dos falecimentos acabou puxando o eleitorado para baixo. Entre as cinco cidades que mais receberam eleitores em comparação com o último pleito estão São José dos Pinhais, com 10.926 novos eleitores; Curitiba, com 10.879; Foz do Iguaçu, com 8.336; Fazenda Rio Grande, com 7.754; e Ponta Grossa, com 7.596. O crescimento em Londrina - até o momento - é de 6.168 pessoas aptas a votar.

No Paraná, o eleitorado saiu de 8.475.632, em 2022, para 8.651.288, em 2024, um acréscimo de 175.656 novos eleitores, cerca de 2,03%. Neste ano, os municípios de São José dos Pinhais e Foz do Iguaçu, com 222.701 e 204.489 eleitores, respectivamente, terão a possibilidade de segundo turno pela primeira vez.

As eleições municipais desempenham um papel fundamental na estrutura democrática de qualquer país. São nessas eleições que os cidadãos têm a oportunidade de escolher diretamente aqueles que administrarão suas cidades, influenciando diretamente a qualidade de vida local. Exercer o direito de votar é uma expressão essencial da cidadania, permitindo que os indivíduos contribuam para o desenvolvimento de suas comunidades.

A escolha cuidadosa de prefeitos e vereadores é uma responsabilidade que não deve ser subestimada. Para fazer uma escolha informada, é imprescindível conhecer os projetos e propostas dos candidatos. Isso inclui analisar suas plataformas eleitorais e entender suas visões e planos para a cidade. Além disso, a vida pregressa dos candidatos deve ser considerada. Verificar o histórico político e profissional, assim como eventuais envolvimentos em escândalos ou atos de corrupção, é essencial para avaliar a integridade e a competência dos candidatos.

Uma das melhores fontes para se obter informações precisas e detalhadas sobre os candidatos são os veículos jornalísticos que cobrem notícias e eventos da cidade. A FOLHA prepara-se para a cobertura de mais uma eleição em Londrina e região, mantendo a tradição ao longo de seus 75 anos de história. Afinal, uma escolha consciente é o primeiro passo para uma cidade melhor.

Obrigado por ler a FOLHA!