OPINIÃO DO LEITOR - Julgamento caso Mainvailer


As imagens que rodam o país e o mundo, do advogado de defesa do condenado ao assassinato de Tatiane Spiltzner, tentando mostrar ao juiz e jurados o que teria havido entre o casal, causam repulsa e indignação. Na minha opinião, as imagens  caracterizam ato de ofensa e  violência contra a mulher. Se ele quisesse fazer tal demonstração, que contratasse uma atriz, não usar de uma advogada, provavelmente funcionária sua, para tal ato violento e constrangedor. Tanta violência que a advogada quase caiu à frente do juiz. Um absurdo sem precedentes, que precisa ser analisado e investigado. Quanto despreparo.

Antônio Carlos Pescador (autônomo) 


O Exemplo vem de cima

Não poderia deixar de me manifestar ao excelente, oportuno e coerente texto do professor Luiz Sérgio Hilário, espaço aberto dessa terça 11.05. Me atreveria a complementar, em cima de todos os dados apresentados por ele, o mal exemplo que fica. Como um parlamento pode legislar com tamanhas mordomias? Enquanto uma nação com tantos desempregados e gente morrendo de fome e Covid, permanecerem  numa ilha de benesses e mordomias. Como a nação vai confiar num Supremo com esse volume de gastos. Volta a famosa frase decadente, faça o que eu mando, mas, não faça o que eu faço. E onde fica a competência num ambiente como esse, tão necessária ao mundo moderno. O exemplo vem de cima,  os bons cidadãos desse país, não suportam mais essa situação.  Só resta pedir a ajuda de Deus.Apesar dele não ter nada com isso.

José Cezar Vidotti (economista) Londrina



Paulo Gustavo

Na coluna Rádio Diário desta terça-feira  (11/05), o autor deixa implícito que há alguém culpado pela morte do ator Paulo Gustavo, esse rapaz que era capaz de unir todas as tribos e causou-nos grande comoção. Em primeiro lugar, o culpado é o próprio homem, que desrespeita a natureza; em segundo lugar, a China, que adiou muito a revelação de que o vírus estava circulando, o que poderia ter evitado a pandemia. Muitos estão jogando a culpa no presidente, porém cabe ressaltar: em nenhum país do mundo alguém com 42 anos teria sido vacinado à época em que ele contraiu o vírus. E mais, nenhuma vacina existente até agora protege em 100% contra o desenvolvimento da forma mais grave da doença. Além disso, a calvície do ator é um claro sinal de excesso de receptores androgênicos, que já se sabe, é fator de risco. A culpa é coletiva, mas é de uma grande injustiça imputar a uma pessoa a responsabilidade. Por mais que se antipatize com a figura do presidente (o que eu compartilho), não cabe responsabilizá-lo, pois isso é de uma tremenda falta de ética.

Nilza Santos Rosa (infectologista) São Carlos - SP

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo