|
  • Bitcoin 124.988
  • Dólar 5,0741
  • Euro 5,2058
Londrina

Opinião

m de leitura Atualizado em 30/06/2022, 00:26

OPINIÃO DO LEITOR - Comerciantes estão sozinhos

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 30 de junho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Na sexta-feira da semana passada (24), tivemos, em Londrina, o feriado do Sagrado Coração de Jesus, que acontece sempre na sexta-feira subsequente ao feriado nacional de Corpus Christi. Durante a semana, o comércio de Londrina viveu mais um dos costumeiros dilemas aos quais é submetido em todas as datas similares no calendário: comerciantes sem saber se poderiam abrir as lojas, empregados sem saber se teriam que trabalhar e clientes sem saber se teriam o que comprar. Somente a existência desse feriado nessas condições bem específicas já é uma falta de respeito com a população da cidade. Um feriado programado para cair numa sexta, bem na semana seguinte onde já tivemos outro feriado. E para complicar mais, a Acil, instituição da cidade que deveria prezar pelos interesses dos comerciantes, deu mais um show de incompetência e amadorismo. Durante toda a semana do feriado, passou discutindo detalhes e decidindo se o comércio abriria ou não. É tão amadora essa situação que fica até difícil criticar. Então, vamos pensar como deveria ser feito: a Acil deveria ter esse calendário já planejado e bem estipulado desde o começo do ano, no mínimo! E para incentivar o consumo poderia criar campanhas e promoções juntos aos comerciantes. Mas não. A instituição sequer sabe se o comércio vai poder abrir e deixa para decidir tudo em cima da hora. O resultado não poderia ser pior. As lojas abriram, os clientes não foram e ficou todo mundo descontente. Os comerciantes ainda em situação pior, pois terão que arcar com os custos inflados pelas horas extras. Não é segredo que o comércio de Londrina enfrenta sérias dificuldades. Mas é uma tristeza que os comerciantes estejam tão abandonados e solitários nessa luta. A Acil  tem que rever junto aos vereadores a necessidade desse feriado. Um pequeno comércio tem por mês aproximadamente 25 dias úteis para trabalhar. O máximo que o calendário permite são 26 dias. Pois bem. As pequenas empresas trabalham cerca de 23 ou 24 dias apenas para pagar os custos e despesas, sobrando 2 ou 3 dias para fazer algum lucro (as que estão lucrando). Toda vez que temos feriados, a saúde financeira dessa empresa é extremamente prejudicada, pois as vendas não são acumuladas em outros dias. Portanto, é necessário que o município reveja suas prioridades a fim de planejar adequadamente o futuro da cidade. E a Acil, já passou da hora de começar a fazer um trabalho profissional. Não é possível que seja uma instituição tão amadora a ponto de não planejar adequadamente um simples feriado municipal. Até que isso não aconteça, os comerciantes continuarão sozinhos na sua luta. 

Valmor Pedroso (empresário) - Londrina

Conselho da ONU

Num país onde o governo não tem competência em assegurar a vida de servidores ambientalistas e de jornalistas estrangeiros no meio da floresta, muito pouco provável que a ONU pense um dia em possibilitar que o Brasil faça parte do Conselho de Segurança nas Nações Unidas. Nesta posição de suma importância, se esta política retrógrada e ignorante do atual presidente permanecer, nosso país jamais terá cadeira cativa.

Célio Borba (aposentado) -  Curitiba

Os artigos, cartas e comentários publicados não refletem, necessariamente, a opinião da Folha de Londrina, que os reproduz em exercício da sua atividade jornalística e diante da liberdade de expressão e comunicação que lhes são inerentes.

COMO PARTICIPAR| Os artigos devem conter dados do autor e ter no máximo 3.800 caracteres e no mínimo 1.500 caracteres. As cartas devem ter no máximo 700 caracteres e vir acompanhadas de nome completo, RG, endereço, cidade, telefone e profissão ou ocupação.| As opiniões poderão ser resumidas pelo jornal. | ENVIE PARA [email protected]