OPINIÃO DO LEITOR - Cenário político desolador


 

 

OPINIÃO DO LEITOR - Cenário político desolador
 

Há menos de um ano do pleito eleitoral para eleger o novo presidente da República, assistimos a volta dos corruptos de sempre tomarem as rédeas da governança e legislarem em causa própria, aproveitando-se de uma presidência fragilizada, cooptada e comprometida com alianças espúrias. Caciques da velha política, os rançosos donos de partidos, condenados e recém saídos da cadeia comandam coligações de olho nas verbas do fundo eleitoral, na venda do horário de TV, nas negociatas de toda sorte, entre outros conchavos, visando a manutenção financeira dessa vergonhosa miríade de legendas e dos seus próprios ganhos pessoais.

Está de volta, também, a esse palco da politicalha nacional o ex-presidente e ex-presidiário condenado por chefiar a quadrilha responsável pela maior roubalheira de dinheiro público da nossa história. Mentindo que foi inocentado, montou o seu palanque da vergonha itinerante no exterior, expondo as mazelas que maculam ainda mais a nossa já desgastada imagem internacional. De outra parte, mas também nesse contexto, está o atual ocupante do Planalto, que foi eleito sob a égide do liberalismo econômico e da implementação das reformas política, administrativa e tributária, além da promessa de combater persistentemente a corrupção; todavia, tudo isso ficou só no discurso.

Despreparado para o cargo, extremamente inconsequente e de parcos dotes intelectuais passou quase três anos do mandato agindo com o único propósito de se reeleger, num governo pífio e excessivamente polêmico. Falacioso, rendeu-se ao grupo mais corrupto do parlamento, garantindo a continuidade do 'status quo' da corrupção crônica dos seus neoaliados, também avalizada por uma meia dúzia de togados supremos, que nem mais se cora de vergonha ao proporcionar a impunidade geral dos bandalhos.

E para confirmar o engodo, o fim da Lava Jato e a volta do mensalão, agora disfarçado de orçamento secreto, comprovam que o apoio do centrão teve um preço muito elevado. Outra grande vergonha para os brasileiros é ter na linha sucessória da presidência da República um réu investigado por corrupção. Por esse motivo, o atual presidente da Câmara Federal legalmente não pode assumir o cargo na ausência do presidente e do vice. São coisas de um país onde a canalhice é a linha de conduta da maioria esmagadora dos nossos políticos; poucos se salvam dessa devassidão. 


Ludinei Picelli  (administrador de empresas) Londrina 


A opinião do autor não reflete, necessariamente, a opinião da Folha de Londrina. 


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo