O leitor escreve Racismo Sou brasileiro, casado, eleitor, idealista, residente em Londrina desde 1954. Neste período, jamais vi tantas denúncias, falcatruas, corrupções, desmandos, impunidade, falta de justiça etc. Porém, atingir um ser humano no que existe de mais sagrado que é sua origem, sua raça e cor, sem dúvida é repugnante. Vita Guimarães, talvez você não consiga promover justiça, justamente pelo que vimos nos últimos acontecimentos, mas, esteja certa que a justiça divina virá com certeza, pois todos morrerão e não ficará pedra sobre pedra. Continue na sua luta e conte conosco, seus amigos. Pobres são os que utilizam a força como argumento. (NR. A repórter Vita Guimarães teria sido ofendida pelo secretário de Governo Sidnei de Oliveira na terça-feira). - MOISÉS DOS SANTOS, Londrina Folha Informática Esse é o único lugar onde acho números e informações sobre o mercado internet no Brasil e América Latina. Parabéns, Carlos Trindade, pelas informações e comentários que faz. Gostaria de ver informações sobre a internet no Brasil com mais frequência. Acho sua coluna imperdível. - GINO TREVISAN, Curitiba Walmor Macarini Parabéns ao jornalista Walmor Macarini. Mais uma vez ele foi feliz em seu tema sobre superficialidades, na última quinta-feira, e passou a reflexão dos dias de hoje, tão conturbados e loucos por tantas incoerências que estão ocorrendo. Seus artigos são sempre maravilhosos. - MARIZA MANESCO CARDOSO, Toledo Polícia Civil É incrível a falta de policiais civis no Paraná. Para se ter uma idéia, em Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba) existe apenas um investigador, que acaba fazendo o papel de escrivão durante a madrugada. No restante do Estado, a situação também não é diferente. - RICARDO ROCHA, Paranaguá Dignidade Humana e Paz O tema escolhido pela Comissão Ecumênica (Dignidade Humana e Paz), a partir de sugestões vindas das Igrejas, é de conteúdo muito vasto e rico. Visa unir os cristãos no testemunho e no anúncio evangélico da dignidade humana, condição básica para a paz. A dignidade humana, como pré-condição para a paz, deve ser fundamentada e observada nas condições de vida do povo. Haverão de ser destacados, portanto, os fatos mais gritantes de ameaças, desrespeito e violação dos direitos humanos. A paz deve ser vista não apenas como ausência de guerras, mas em sentido bíblico, como bem-estar da convivência cotidiana. As pesquisas apontam a questão da violência, depois do desemprego, como o maior problema da sociedade atual. O Brasil ocupa o terceiro lugar entre os países mais violentos da América Latina. A diminuição da violência não é fruto da repressão e de alianças políticas. No pensamento dos profetas bíblicos, a paz é dom de Deus e fruto da justiça. - ANTONIO CARLOS DE MELO, Porecatu Habitação Em demanda sobre imóveis financiados, disse o juiz: ‘‘Em verdade, na presente demanda, parte autora decidiu que não pretende mais continuar com o contrato celebrado, cujos fundamentos são as bem lançadas razões em sua petição inicial’’ (juiz Alexandre Delanni Mônaco). O autor financiou um apartamento a vinha pegando por alguns anos, até que lhe alertaram as palavras do senador Alvaro Dias, pela imprensa, que disse: ‘‘O Sistema de Financiamento da Habitação transformou-se em arapuca’’. Ponderou o mutuário: o valor pago, mais o débito ainda restante, somados os dois, dará para comprar três apartamentos iguais ao financiado, objeto do contrato. Ele se lembrou de que um mutuário já pagou R$ 110 mil, deve R$ 80 mil e o apartamento financiado vale no máximo R$ 70 mil. Não tendo dúvida, o mutuário entrou em juízo requerendo a rescisão do contrato de financiamento, por culpa do requerido, e requereu ao juiz que notificasse ao credor de que não haveria mais pagamentos e que não lhe ‘‘seprocasse’’. Na petição inicial, que originou o despacho do juiz, o autor, requerendo a rescisão do contrato, demonstrou que o senador tinha razão, e que procurou alertar a todos os que têm financiamento. A conta tornou-se impagável, porque os agentes financeiros cobram juros sobre juros, e a sua capitalização é feita mensalmente, quando deveria ser anual. Aplicaram a TR na correção do saldo devedor e prestações, quando o Supremo Tribunal já entendeu que essa correção não pode ser aplicada nos financiamentos da casa própria, mas sim o INPC, e a diferença é muito grande. Se a Justiça entende que neste caso o mutuário tem as suas razões para requerer a devolução do apartamento, a rescisão do contrato, pedindo de volta o valor das prestações pagas, evidentemente que quem já perdeu o seu imóvel para o banco, em leilão, ou através de adjudicação, em muitos casos, tem ação para também, ainda, pedir de volta o que foi pago. Não é justo que o agente fique com o dinheiro das prestações e ainda com o imóvel objeto do contrato, de acordo com o artigo 53 do Código de Defesa do Consumidor. - ORLANDO GOMES, advogado, Londrina Rubens Barrichello A imprensa especializada insiste em pensar que Barrichello será um ajudante de Schumacher, porém isto não acontecerá. O piloto brasileiro não pode pensar em outra coisa, a não ser ganhar o Mundial de Pilotos. Após sete temporadas na Fórmula 1, se Barrichello não pode pensar que 2000 será um ano de aprendizado: tem que mostrar serviço desde a primeira prova e acumular pontos para brigar pelo campeonato. Com certeza terá todo apoio da equipe Ferrari, que não terá Schumacher como piloto número 1 da equipe por dois motivos: há quatro anos na equipe, Schumacher não conseguiu dar o título de pilotos à equipe italiana e está começando a ficar com uma imagem desgastada. O segundo é que a Ferrari sabe que um erro como em 1999, na prova de Silverstone, que eliminou o alemão da briga pelo título da temporada, pode ocorrer novamente, e não quer correr o risco de beneficiar apenas um piloto e ver o título escapar. O que Barrichello precisa é um pouco mais de arrogância. Em suas entrevistas, tem que dizer que vai brigar pelo título e que na primeira prova, ele é que vai tentar dar os dez pontos da vitória à sua equipe. - ROGÉRIO LUIZ NOGUEIRA, Londrina Segurança Em princípio somos contra à criação de um serviço de segurança particular destinado a atender parte de uma população num determinado bairro, seja onde for. A segurança, segundo dispositivo constitucional, é dever do Estado. Portanto, se este não o cumpre o que devemos fazer é pressionar e exigir do governo que ele cumpra as suas obrigações. A segurança já atingiu as raias do insuportável e está irremediavelmente insustentável, senão mesmo irresgatável e o fato de se dar cobertura a uma minoria da população do bairro não vai resolver nada. O problema é muito mais complexo e tem que ser resolvido no todo, isto é, no Brasil inteiro. Outro fator negativo é que, se tal comportamento ‘‘pegar’’, o próprio governo vai se acomodar no cumprimento de suas obrigações e a partir daí mais dinheiro irá sobrar para os cofres públicos e como consequência aumentar ainda mais a corrupção. - FRANCISCO RODRIGUES LEITE, Maringá - As cartas devem ser datilografadas e assinadas e vir acompanhadas da fotocópia de documento de identidade, endereço e telefone para contato e profissão/ocupação do remetente. O jornal poderá resumi-las conforme disponibilidade de espaço. Correspondência via Internet deve conter: nome completo, cidade de origem, telefone, documento de identidade e endereço eletrônico e profissão/ocupação. E-mail Folha do Paraná/Folha de Londrina: [email protected]