Morre o rei do café: 76 anos


São Paulo, (Fôlha) - Expirou ontem à noite, aos 76 anos de idade, vítima de enfarte, o comendador Geremia Lunardelli, conhecido como o ‘‘Rei do Caf钒. De origem humilde, com muito esforço e dedicação ao trabalho, logrou atingir a posição de destaque que ocupava. O passamento do legendário plantador de café causou amplo pesar nos círculos cafeeiros nacionais.
Pelos idos de 1890, menino ainda, Geremia, que chegou ao Brasil aos dois anos de idade, junto com a família, procedente da Itália, empregou-se como colono de uma fazenda de café no Oeste paulista. Era mocinho à época em que conseguiu adquirir, com sacrifícios, um sítio em Sertãozinho, na região de Ribeirão Preto. Depois também se tornou proprietário de terras em Olímpia. Em pouco tempo, graças ao esforço, à dedicação e à tenacidade, tornava-se um dos maiores plantadores de café de São Paulo, Paraná, Goiás e Mato Grosso. Chegou mesmo a ter fazenda no Paraguai. Consta que possuia 18 milhões de cafeeiros. Era também exportador em Santos e criador de gado na zona da Noroeste.
Em 1933, pelos serviços prestados à agricultura brasileira, recebeu a Ordem do Cruzeiro do Sul. Possuia muitas outras comendas. Em 1940, naturalizou-se brasileiro.
Geremia Lunardelli nasceu em Mansue, Província de Treviso, Itália, a 20 de agosto de 1885, era filho de Nicola e Luisa Lunardelli. Deixa viúva Albina Furlanetto, oito filhos, 37 netos e 12 bisnetos.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo