MEMÓRIA - Cultura cigana em evidência


26 DE NOVEMBRO DE 2001

A ''Noite da Cultura Cigana'' é a nova atração da programação do Espaço Arte e Cultura Telepar Brasil Telecom, em Curitiba. Hoje, das 18h30 às 19h30, haverá bate-papo com o presidente da Associação de Preservação da Cultura Cigana e presidente da União Romani do Brasil, Cláudio Iovanovitchi. O tema é a cultura cigana no contexto mundial. "Há muito preconceito em relação aos ciganos. Acham que tudo que está em posse dos ciganos é roubado'', comenta Iovanovitchi. Para reverter, somente com muita informação e educação. ''Discriminamos o que não conhecemos'', afirma ele. Para esta noite, a partir das 20 horas, está programada ainda uma apresentação de danças ciganas e do cerimonial do chá típico cigano, além da exibição de vídeos sobre a cultura cigana. Segundo Iovanovitchi, no Paraná existem cerca de três mil ciganos fixos. Em todo o Brasil, seriam cerca de 600 mil nômades. ''São nômades por tradição e opção de uma cultura mais voltada para o ser do que para o ter'', diz ele. Os ciganos trabalham basicamente como artesãos, músicos e vendedores ambulantes. Entre as comida típicas estão a Sarma (iguaria feitas com carnes - porco, gado, arroz, bacon, cogumelo - enrolado em folha de repolho), a Guibanitsa (folhado de queijo e uva passas).

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo